Tagged: Spain

Sport TV comprou os direitos de transmissão televisiva dos jogos da Liga de Futebol Espanhola.

  • Mais que previsivel. Apenas por ainda acreditar na Sininho, no Peter Pan e na Electra, mantinha a esperança de surgir alguma novidade que não Media Pro ou SportTv. Mas…o vento mudou e Esperança não voltou.

    Por isso a Sport TV comprou os direitos de transmissão televisiva dos jogos da Liga de Futebol Espanhola. Este contrato entre a Sport TV e a Media Pro está assegurado por três anos, ou seja, as épocas de 2012/2013, 2013/2014 e 2014/2015.

    Isto foi possível, depois de Miguel Pais do Amarel ter “desisitido” dos jogos da Liga BBVA e não entregar, em Junho, o valor da primeira prestação no valor de um milhão de euros à espanhola Media Pro. Por eso, ardió La Tienda Nena.

    Que tenha os direitos da Liga BBVA, é algo que à partida me estaria pura e simplesmente a borrifar. Mas… não posso.Ó que Catano, não posso mesmo. E não posso, porque isto não augura nada de bom. Alguém que me diga (e anseio que sim e de forma desesperada) que estou errado, mas a partir daqui antecipo duas hipóteses: A SportTv paga o que o Benfica pede (No me gusta) e fazemos um encaixe de Capital interessante. Ou os mandamos pastar, não temos encaixe de €€€ nenhum, mas a SportTv não mete os pés na Catedral.

    Nos jogos fora…enfim já se sabe. A coisa não está boa. Alguém por favor me diga que estou errado !!!!!

 

 

 

Resultados viciados! Itália, agora Espanha. E Portugal? Alguém mete as mãos no fogo?

Javier Tebas ex-vice presidente da Liga de Futebol Profissional de Espanha afirma que há resultados combinados nos jogos de futebol em Espanha.

Eis a sua afirmação à agencia EFE quando questionado sobre o tema:

«Sim, existem. É numa minoria de jogos, mas existem encontros em que se estão a combinar resultados. O perigo ocorre quando se compram dois jogadores para fazer penalties ou  quando há jogadas para que se consiga um resultado que prejudique um terceiro. Os objectivos são claros, promoção ou subidas de divisão, ou mesmo em jogos que decidem campeonatos»

Isto em Espanha. Agora questiono eu, com tudo o que se soube e sabe e que resultou em…nada. Se é que se pode chamar “nada” à impunidade, será que alguém mete sem medo as mãos no fogo, sobre a possibilidade de algo similar acontecer em Portugal?

Entre vários casos, e reportando-me apenas a esta última temporada, recordem isto:

Especulação? Sim é ! Claro que é.

Mas…“Apito Dourado” antes dele o que se dizia? Certo, tudo também era especulação e no entanto…Aqui fica o alerta.

Sobre a possibilidade de isto acontecer no nosso país, tal como aconteceu na Itália, como  acontece em Espanha a crer nas palavras do ex Vice Presidente da Federação Espanhola de Futebol, alguém pode afirmar que não se pode passar o mesmo?

Diferenças; em Itália uma investigação desmantelou uma rede de manipulação de resultados na qual os jogadores estavam envolvidos e onde houve prisões. Já Javier Tebas, diz  que na Espanha não há mercado para as tais ” apostas ligadas à manipulação de resultados “, mas que há “compra de jogadores” igualmente para provocar alteração de resultados. Ou seja, os meios são diferentes, mas a finalidade é a mesma.

Lembro o o seguinte, se o fenómeno das apostas em jogos começa agora a crescer no país vizinho, alguém duvida que mais cedo ou mais tarde surjam também por cá?

O certo é que existem já meios para combate (ou tentativa de) entre a UEFA, a Interpol e as casas de apostas. A primeira medida tomada é o pedido de proibição de prémios a terceiros porque é aí o início e o fim do motivo da compra de jogos.

Sim, não tenho a mínima dúvida que tal situação acabará por chegar a Portugal. Sem dúvida, vão sempre aparecer as vozes discordantes, seja por uma questão de honra ou por uma questão de competência. E aqui deverá estar o nosso maior alerta. Se o Governo não actuou em algo tão óbvio como o Apito Dourado, não “beliscando as competências” da entidades futeboleiras que não desportivas como nos fizeram querer passar, não seria tempo de estarem atentos ao que se vai passando por Itália e em Espanha?

Entre diversas razões que melhor ou pior qualquer português conhece, e que dão pelo nome de influências, abusos de poder, etc… o certo é isto: A grande maioria do meio do futebol concorda com o Status Quo existente, porque a grande maioria dos clubes de futebol lá vão pagando os seus impostos no dia certo ou passados meses, mas, salvo raras excepções todos acabam por pagar.E se assim é para quê mexer no que se passa?

Mais, os clubes têm dívida prorrogada e garantida, apesar de já terem percebido que o dinheiro deve estar nos cofres do Estado porque, mesmo que atrasado, é normal que o adiamento é um tema cíclico e não estrutural .

Estou convicto que se houvesse vontade política para iniciar “hoje” uma credibilização a todos os agentes futeboleiros (ditos desportivos) já iriamos tarde. Espero que estejamos todos por cá, para ou me dizerem “estavas errado” ou “afinal, deviamos ter começado mais cedo…” A ver vamos. Não esqueçam que a situação dos clubes de futebol é quase tão como complicada como a do país. A diferença está no tipo de “Troika” existente em cada realidade…

Que ninguém me acuse de pessimismo, porque reforço a forma como terminei “é quase tão complicada…” 🙂

Está tudo perdido? Não ! Mas para isso, investigue-se, denuncie-se sem ter medo de o fazer quando se suspeita, para que se leve até ao fim a investigação.