Tagged: PJ Cardinal

Cardinal. Estará a irmandade do Apito Dourado a queimar um dos seus antigos peões? 1ª Parte

A notícia que corre hoje os orgãos de comunicação social sobre José Cardinal (pertence aos quadros da AF Porto) sobre o facto de estar a ser investigado por suspeitas de corrupção, suscita várias questões que passo a enumerar e que seguiremos atentamente.

Lê-se por todo o lado que José Cardinal terá sido aliciado antes de um jogo da Taça de Portugal entre Sporting e o Marítimo; Polícia Judiciária está a par de tudo. O que será o tudo, que faz o presidente do Sporting refugiar-se no habitual “está em segredo de justiça”, dito com uma expressão de sorriso nervoso.

Lê-se também:

O árbitro assistente internacional  através de uma denuncia ao sporting terá recebido na sua conta bancária dois mil euros, em vésperas de um jogo entre o Sporting e o Marítimo a contar para a Taça de Portugal.”  Ora um terá não teria sido motivo para que mesmo ainda sem grande informação adiconal a situação tivesse disparado por todo o lado. Assim sendo, o termo verbal apesar de se tratar de um conhecido refúgio jornalistico está errado.

Lê-se ainda…

…”o depósito em numerário foi efectuado num banco da ilha da Madeira e que a denúncia chegou ao Sporting através de uma fonte anónima. Nessa denúncia estaria uma cópia do talão de depósito dos dois mil euros, bem como um depoimento datilografado do denunciante.”

Nem coloco em causa a veracidade de tal situação mas sim o seguinte exercício que não passa neste momento de retórico. Não estará este Cardinal com 45 anos e em final de carreira a ser lançado como engodo apenas para surgir algo como “Como estão a ver nós actuamos

Seguindo:

“Os dirigentes do Sporting entregaram o caso a Fernando Gomes e o presidente da FPF passou-o de imediato à Polícia Judiciária. E, nesta altura a acusação está a ser investigada pela Unidade Nacional Contra a Corrupção (UNCC).”

O que tenho a dizer sobre isto é simples, qualquer argumentação que concerteza irá surgir por parte do clube diferente será….“Colaborámos com a Justiça”. Se o não o fizessem por antecipação seriam “apanhados” pela enxurrada de notícias sobre o caso. Por isso, o efeito dessa argumentação vale zero.

Reacções a esta notícia, são pelo pouco que foi dito e pelo silêncio de quem nada disse objecto da mais básica explicação de reacção nervosa de alguém apanhado com as calças na mão.

Até ao momento temos:

Uma caricata declaração do presidente da Liga. Mário Figueiredo numa nervosa tentativa de marcar uma posição de autoridade cometeu o seguinte erro:

  • No momento em que diz, “eu não conheço essas notícias isso para mim é um caso de polícia” Bom, em que ficamos? Não conhece as notícias e diz  tratar-se de uma «caso de polícia»? Ilucidativo !
  • Nem um comentário (ao momento em que este artigo está ser escrito) de Vítor Pereira presidente do conselho de arbitragem da FPF e Gustavo Sousa líder da APAF. Que concertação estará em curso? Tão lestos que são na defesa dos árbitros noutras circunstâncias.

Quanto ao jogo em causa, não havendo mais informação recorremos apenas aos factos existentes e que são; No final do tal jogo, relativo aos quartos-de-final da Taça de Portugal onde José Cardinal já não esteve presente, após a denuncia feita, o treinador do Marítimo, Pedro Martins, recordo que foi a voz mais crítica à arbitragem. «Por isso é que, por vezes, mais vale fazer como o senhor Cardinal e ficar em casa», Isto foi o que foi dito pelo Marítimo pela voz do seu treinador após o jogo. Aqui quero recordar ainda aos nossos leitores os anos de grande amizade e ligações estreitas entre o Marítimo e o clube corrupto do porto que terminaram faz pouco tempo com constantes declarações do Presidente do Marítimo a por mais que uma vez o disse  e cito “ O FC Porto usa as pessoas e depois deita-as fora” recordam-se? Nós sim.

Sobre o Assistente José Cardinal, não temos memória curta e temos bem presente os jogos que fez com o Benfica. Além de parecer passar o jogo a acenar aos comboios do lado do ataque do Benfica recordamos ser um dos árbitros assistentes que desde sempre mais nos tem prejudicado. Foi esta personagem que expulsou o Javi Garcia no ano passado em Braga, e que teve aquela actuação caricata do jogo em Guimarães da mesma época.

E não é preciso puxar muito pela memória, todos se sabem conceteza que esta época tem feito parte da equipa de quem? Carlos Xistra…

Conclusão,  estaremos perante o apito dourado encandescente e assustado a “queimar” um dos seus antigos peões?

Recordem aqui a análise ao Jogo Marítimo – sporting o jogo que é colocado sob suspeita