Tagged: Nélson Oliveira

Portugal vs Holland

NOW SIT DOWN

XVII Gala dos Globos de Ouro, Revelação do Ano é do SL Benfica!

XVII Gala dos Globos de Ouro, Revelação do Ano é do SL Benfica!

Vamos todos votar no Nélson Oliveira!

Liga para o 760 300 504

 

Convocados Euro 2012

Guarda-redes

Rui Patrício
Beto
Eduardo

Defesas

Bruno Alves
Fábio Coentrão
João Pereira
Pepe
Ricardo Costa
Rolando
Miguel Lopes

Médios

Carlos Martins
João Moutinho
Custódio
Miguel Veloso
Raul Meireles
Rúben Micael

Avançados

Cristiano Ronaldo
Hélder Postiga
Nani
Nélson Oliveira
Ricardo Quaresma
Hugo Almeida
Varela

 

BENFICA vs Braga – Luta de Titãs

Grande BENFICA, grande vitória!!!

O Braga foi um digno vencido, desta vez não se preocupou com muitas simulações, nem com jogo agressivo e mostrou porque estão no lugar que estão (apesar de num ou noutro jogo tenham sido favorecidos, mas que têm melhor equipa e que jogam melhor que o focul corrupto, disso ninguém tem dúvidas), jogou também com o autocarro e no contra ataque, viram que deu resultado em dois ou três jogos contra o SLB e talvez esse até tenha sido o seu erro.

A mostrar que desta vez não não vinham para a habitual guerra que tanto gostam, exemplo disso foram as “pazes” feitas entre Javi e Alan que comentou acerca do assunto:

«Está esquecido, são coisas que acontecem. Nem eu nem ele nos lembramos mais disso. Falámos lá dentro, cumprimentámo-nos no começo e no final do jogo. Somos profissionais e temos de dar um bom exemplo.»

Oh pá o treinador e presidente do Braga não se portaram mal nem nos comentários.

A arbitragem hoje nem esteve mal de todo, a dualidade de critério foi bem diferente (já repararam que os adversários do SLB levam quase sempre o 1º cartão amarelo do jogo e depois não levam mais nenhum e os jogadores do BENFICA acabam sempre por levar três ou quatro), tivemos jogadores do Braga que fizeram faltas em todo o lado do terreno de jogo sem se preocuparem com a bola, apenas com as pernas dos jogadores do BENFICA, incluindo á entrada da grande área do Braga.

Supostamente (e supostamente porque a sport tv insiste em não mostrar certas repetições de lances a favor do BENFICA) ficaram 2 penaltys por marcar (ou não) a favor do SLB.

Podiam apontar mais um lance ou outro, mas vou apenas falar de um, do penalty.

Ninguém tem dúvidas, julgo eu, que foi penalty e também não tenho dúvidas que o Elderson não tem intenção de agredir o Bruno César, mas é uma agressão e deveria ter visto o cartão vermelho (já vi jogadores do BENFICA atingirem o adversário com a mão no peito sem intenção e levar cartão vermelho directo), mas a acontecer seria só de um jogo, pois toda a agressão vale menos jogos de castigo do que um lance sem intenção do PABLITO) e digam lá quem foi o magano que marcou o golo do empate.

O BENFICA teve sempre o jogo controlado, teve momentos intensos (e outros menos) e mais uma vez não conseguiu marcar por várias vezes, o Braga no contra ataque também o podia ter feito numa ou duas ocasiões.

Quando a chama se estava quase a apagar (lembrar a quantidade de jogos que o BENFICA tem ido e vai ter e o valor dos adversários) eis que surge uma jogada à BENFICA, genial, com garra, querer, ambição, resistência, determinação e …que belo golo (terá o Bruno César vertido ali uma lagrimazinha).

Foi uma luta de guerreiros e titãs, mas no final todos se ajoelharam aos pés de César.

A equipa está toda de parabéns! É lindo ver estes meninos irem comemorar os golos com os adeptos!!!

Ainda não estou descansado em relação a este jogo é que talvez (ai num desses jornalecos ou programas de tv) alguém descortine um lance contra o BENFICA para tirar mérito a uma grande vitória (e até já estou a ver qual é… JG).

Antes deste jogo com o BENFICA diziam lá para os lados de Braga que ia ser um jogo importante e que podia decidir o título, que vinham á Luz para ganhar, matar o borrego, agora vejam o que disse o Mossoró:

“Nem sempre ganha o melhor…”

“A equipa fez um grande jogo. Nem sempre a melhor equipa ganha. Saímos com a lição de que somos uma grande equipa. Há que tirar daqui as coisas boas e fazer uma boa partida com o FC Porto. Será mais uma final e esperamos mais um resultado positivo. Podemos ficar entre os três primeiros e no final fazemos as contas”

Ai maçaroca, maçaroca, é bem verdade, mas desta vez ganhou o melhor, mas então com o BENFICA era jogo para o título, com o focul corrupto vão fazer uma boa partida para ficarem nos três primeiros lugares?

Os adeptos do BENFICA têm muito peso na equipa e todos os jogadores sentem isso, seja no apoio seja nos assobios e vaias, mais que em qualquer outro clube e nós somos diferentes, sempre o fomos, mas parece que estamos a mudar…

…adeptos, ditos BENFIQUISTAS parece que vão para o estádio ou café para assobiar e até concordar com os anti, esse ditos adeptos acreditam mais nos rumores lançados (desde o início do futebol no nosso país) por os outros clubes rivais, se é que temos algum, jornais e TVs (esses que comem á custa do SLB e que nada mais fazem do que mandar abaixo e cuspir no prato que comem) ao invés de realmente continuarem a ver a podridão do futebol que tanto nos prejudica e do que propriamente aquilo que está á sua frente.

No outro dia falei que vejo mais apoio ao BENFICA quando joga fora do Estádio da Luz (não me venham com desculpas de que essas pessoas normalmente não assistem a tantos jogos, é certo que alguns não, mas do Norte ao Sul e não só, fim de semana sim, fim de semana não e até dias de semanas, deslocam-se a Lisboa para assistir a jogos do seu clube, da sua paixão…) incluindo no estrangeiro.

O BENFICA perde jogos, claro, todas as equipas perdem. O BENFICA por vezes não joga tão bem? Claro faz parte do futebol as equipas por vezes não estar tão bem, tal como podem estar a jogar muito, muito bem 90 min e empatarem ou perderem o jogo.

O público deve ser a orquestra do nosso clube, quando isso acontece é ver a sintonia que existe, a magia, a poesia do futebol dentro de campo (por vezes não é bem assim, mas como disse faz parte).

Todos nós temos dias menos bons, todos nós cometemos erros e todos sabemos que se alguém nos apontar o dedo, não der um incentivo, um pequeno apoio, as coisas tendem a ir mais ao fundo e é isso que se passa com jogadores, com equipas.

Todos temos direito de preferir este ou aquele jogador, mas por vezes é o que temos e também não estamos nos treinos para ver o que cada um mostra em cada treino e como a equipa tem de ser construída e como funciona melhor.

Aplaudir um jogador adversário que é bom jogador, aplaudir um ex jogador do BENFICA que em certo momento é nosso adversário, é bonito, mas fazer isso e no mesmo jogo assobiar jogadores do nosso clube em que as coisas lhe podem estar a correr mal (ou até não, pois certos jogadores já estão marcados desde o inicio…estigma não é) ou que está a fazer tudo bem e tem a infelicidade de falhar num lance, seja por culpa própria seja por mérito do adversário.

Gritar euforicamente um golo do BENFICA ou uma vitória é muito bonito e bom para o nosso ego perante os adeptos e equipa adversárias, mas sofrer um golo e nesse momento assobiar, voltar as costas e ir embora é de uma frustração que não cabe num BENFIQUISTAS só está á altura de quem nós sabemos.

Ter de ver neste jogo o Maxi a pedir ao público para orquestrar a equipa, apoiar, embalar a equipa rumo á vitória, no ultimo minuto de compensação quando o BENFICA vencia por 2-1 e precisava do apoio do jogador nº12 naquele momento em que o Braga ia dar tudo, mas tudo para conseguir empatar, é muito triste.

Gostava de saber porque gastam dinheiro em bilhetes, fiquem em casa a chamar nomes á TV, gastem o dinheiro e ofereçam os bilhetes aqui a este humilde BENFIQUISTA.

A sério, apoiem todos os jogadores do BENFICA, apoiem o treinador, a direcção, o clube e isso significa que o vosso ego vai estar sempre em grande, saibam ver e separar cada situação, pois além de tudo ver criticar o treinar por uma substituição dizendo que inventou porque correu mal o jogo e depois dizer que essa mesma substituição foi boa e que desta vez o treinador não inventou só porque o jogo correu bem…Olhem até foi o “gordo” que ganhou o penalty e marcou o 2º golo.

Vejo jogadores adversários a defenderem mais certos jogadores do BENFICA que certos ditos BENFIQUISTAS e que gostem dele ou não (Quim), hoje disse uma verdade:

“Eu jogando aqui já era assobiado, portanto já estava habituado. Tenho muito respeito por esta instituição. Nas últimas duas vezes que o Benfica foi campeão era eu que estava na baliza e isso é que é importante”

Oh Quim, querias o quê no final do jogo?

Palmas para o Nuno Gomes que não comemorou o golo (quando tinha todo o direito de o fazer).

Nós sempre fomos diferentes, nós temos de continuar a ser diferentes e não gostei nada de ver no lance do penalty serem atirados objectos para dentro do campo.

Por fim, se me perguntarem se eu acredito que o BENFICA vai ser campeão este ano, eu respondo sim e não.

– Sim, porque temos melhor equipa e merecemos, não foi por 2 ou 3 jogos que merecemos perder (pois os nossos adversários directos já fizeram piores).

– Não, porque assistindo ás arbitragens que temos visto…

Força Miguel Vítor e que recuperes rapidamente!

NÓS SOMOS DIFERENTES! NÓS SOMOS BENFICA!

Para os pequerruchos que abandonaram o Estádio (penso que estava na hora do biberon) aqui fica o que não viram, podem avançar o vídeo até essa parte (Algum de vocês sabe o que foi o INFERNO DA LUZ?).

Até sempre António Leitão

Faleceu este domingo, dia 18 de Março, António Leitão, antigo atleta do Sport Lisboa e Benfica. Este é um dia em que o atletismo e o desporto português ficam mais pobres. Aos seus familiares e amigos, o BENFICA POWER endereça as mais sentidas condolências.

A directora da secção de Atletismo e do Benfica Olímpico, Ana Oliveira, lamentou este domingo, em declarações à Benfica TV, a morte de António Leitão, antigo atleta do Clube.

É um dia muito triste para todos nós. O António Leitão foi um grande atleta, um grande homem e um grande amigo. Esteve sempre presente e disponível, e era um grande benfiquista”, começou por descrever.

António Leitão faleceu aos 51 anos e Ana Oliveira considerou que isso torna mais difícil aceitar a morte. “Uma morte é sempre triste, ainda para mais era um homem tão jovem, com uma força enorme de viver e de querer de fazer bem na vida. É sempre mais difícil compreender a razão pela qual estas coisas acontecem (…) A família do atletismo do Benfica e do desporto nacional estão muito chocadas com esta situação e está a existir já uma onda de solidariedade muito grande”, afirmou.

O António Leitão estará sempre connosco, mas vai fazer-nos muita falta nas nossas vidas. O António Leitão foi sempre a mesma pessoa, muito disponível e ajudou muita gente no atletismo português. Partilhou tudo o que teve de bom na vida com os seus amigos”, acrescentou.

Ana Oliveira revelou ainda que António Leitão chegou a ser convidado para ser presidente da secção de Atletismo, algo que acabou por nunca acontecer. “Há quatro anos foi feito esse convite ao António Leitão, mas ele dizia que não podia por ter pouca disponibilidade. Esse lugar esteve sempre à espera da resposta final e, no fundo, acabou por ser o nosso presidente”, considerou.

Fonte: www.slbenfica.pt

Benfica – Beira-Mar, 3-1: Cardozo, o goleador implacável

23ª Jornada 16-03-2012

Benfica 3 – Beira-Mar – 1

Figura: Cardozo E vão 18 golos (e ainda três assistências) e o regresso ao topo dos melhores marcadores da Liga, à frente de Lima (Sp. Braga), que tem 17. Com dois golos e outro oferecido a Gaitán, Cardozo assumiu um papel fundamental no desfecho desta jornada, que começou difícil e terminou fácil. Foi só abrir a primeira porta e quem melhor que o paraguaio para o fazer. Foi aos 26 minutos, com Cardozo a descobrir espaço na área aveirense para abrir caminho à vitória do Benfica, após excelente cruzamento de Witsel.

Ainda antes do intervalo, serviu Gaitán para o segundo, após bom trabalho à entrada da área.

No arranque da segunda parte, novamente Cardozo a brilhar na área, desta feita na resposta a uma assistência de calcanhar de Nelson Oliveira.

 

Tentou ajudar o companheiro da frente a marcar também e esteve perto do hat-trick (74m), quando atirou a centímetros do poste. Momento: 2-0 Um golo de vantagem frente a um adversário como o Beira Mar, que não tinha nada a perder na Luz, pelo contrário, tudo a ganhar, não servia as contas do Benfica, impedido de perder pontos, sobretudo depois de o FC Porto ter ganho na Choupana. A um minuto do intervalo, Gaitán bateu Rui Rego para o segundo golo dos encarnados, o tónico que o Benfica precisava para garantir uma vitória fácil. Outros destaques Gaitán Segundo jogo consecutivo de Gaitán a marcar, terceiro golo no campeonato, exibição coerente com os objetivos do Benfica, sem ser espetacular, tal como aconteceu com o resto da equipa. Mas solidez q.b. para esperar o melhor daqui para a frente, com a regularidade revelada nos últimos jogos. Sobretudo na primeira parte, participou em todas as jogadas de perigo, concluindo a última desse período aos 44 minutos. Nelson Oliveira Estreia a titular no campeonato do jovem avançado português (Já o tinha sido nas Taça de Portugal e da Liga), marcada pela impetuosidade, por alguma inexperiência e desacerto no remate, mas com direito a uma assistência fantástica de calcanhar para o terceiro golo da equipa, o segundo de Cardozo.

Tentou, como sempre, resolver depressa, revelou-se, como sempre, pouco altruísta, mas aos 20 anos e qualidade técnica acima da média tem tempo para continuar a crescer. Saiu aos 75 minutos para a entrada de Rodrigo e não lhe faltaram aplausos. Witsel Rendeu Maxi Pereira na ala direita, não lhe é uma posição natural, mas também não comprometeu. Destacou-se a defender logo nos minutos iniciais, com um fantástico corte a impedir o remate de Dias, mas foi nas subidas pelo seu corredor que mais brilhou, como aconteceu no golo inaugural, com o cruzamento para Cardozo. Artur (Beira Mar) A exibição do capitão dos aveirenses, que é também o jogador mais utilizado e mais concretizador da equipa, foi um reflexo da estratégia do Beira Mar, com várias adaptações de início, face às inúmeras baixas no plantel. Esteve muito sozinho na frente, quando podia ter sido mais útil à equipa se tivesse jogado no seu lugar habitual, até porque Cássio estava no banco.

Mais uma pérola jornalística…, com direito a capa!

Vejam bem a capa do jornal “A Bosta” de segunda-feira.

“Nélson Oliveira saltou do banco e foi fundamental para a reação encarnada, com assistência para o 1-0”

Mais um exemplo do excelente panorama jornalístico que temos neste momento espalhado por todo o tipo de imprensa! É certo que um erro todos podem ter, mas com direito a capa de jornal e tudo? Será que não existe ninguém que supervisione antes de estas autênticas pérolas virem cá para fora? Enfim…, uma autêntica balbúrdia!

Ah…, o título do dito jornal é coisa minha! Não gosto de os tratar pelo nome…

Paços de Ferreira – Sport Lisboa e Benfica

Paços de Ferreira – Sport Lisboa e Benfica

Jogo no Estádio da Mata Real, em Paços de Ferreira.

Quando a incompetência prevalece ao realizarmos uma determinada tarefa por maior boa vontade que tenhamos o melhor é sabermos admitir não termos competência para determinada função. Se nos mantemos na tentativa de conseguirmos fazer um bom trabalho em algo para o qual não temos qualquer capacidade apenas vejo duas hipóteses, ou somos uns acomodados, ou pior, quem nos lidera tem algum interesse ou amizade em nos manter. Eis o caso de Bruno Esteves árbitro que apitou este jogo. Não creio que seja árbitro da “fruta” (não meto as mãos no fogo nunca mais) simplesmente naquilo do apito é incompetente passando por vezes a fronteira da má índole. Mau, muito mau. Todo o jogo, decisões trocadas e truncadas, e algumas com erros grosseiros. Deixou por marcar dois penáltis a favor do Benfica, trocando num deles a penalidade máxima por uma falta contra o Benfica. Ridículo.

A vantagem com que o Paços saiu para o intervalo era algo injusta. É verdade que a equipa mostrou sempre qualidade de jogo, fiabilidade defensiva e eficácia concretizadora (marcou ao terceiro ameaço), mas os primeiros 25 minutos foram de domínio do Benfica, que não foi capaz de aproveitar quatro boas situações. As três primeiras foram desperdiçadas por Nolito, Saviola e Cardozo, numa fase eléctrica do jogo. Mas o desperdício mais escandaloso surgiu ao minuto 24, quando após uma defesa de recurso de Cássio, Bruno César não acertou na baliza deserta.

A partir daí, o jogo mudou e o Benfica passou por dificuldades, principalmente no seu lado direito, por causa do futebol de Melgarejo. Isso acabou por ser nítido no golo, apontado por Michel.

O Paços não acusou sequer a substituição forçada do lesionado Manuel José, mas nos pratos da balança importa contabilizar um penálti que ficou por marcar a favor do Benfica, aos 43’, quando Bruno César foi derrubado por Luís Carlos.

O Paços entrou melhor no segundo tempo quando no Benfica surgiram Gaitán e Nélson Oliveira. E, depois de dois ameaços, Melgarejo fez a bola esbarrar no poste de Artur. O Benfica sentia dificuldades até nos lances de bola parada, mas o Paços ainda teria um desperdício mais surpreendente aos 58’, quando Artur defendeu o remate de Álvarez e Michel.

Mas o Benfica acabou por beneficiar da eficácia que lhe faltou na primeira parte. Chegou ao empate num lance em que Nélson Oliveira desequilibrou na direita e Gaitán foi certeiro no remate. E concretizou a reviravolta num livre marcado de forma magistral por Bruno César.

Faltava ainda jogar um quarto de hora, mas a tarefa estava facilitada, até porque o Paços ficou reduzido a dez com a expulsão de Michel. Nélson Oliveira ainda seria vítima de um penálti também não assinalado e, nos minutos finais, Ricardo ainda viu o vermelho directo.

– DESTAQUES BENFICA POWER –

– Jorge Jesus –
Lançou dois jogadores ao intervalo e ambos criaram o golo do empate. O Benfica teve 25’ iniciais muito bons, passou depois por dificuldades mas deu a volta à situação.

– Bruno César –
Marcou o golo da vitória com uma execução genial de um livre, sofreu um penálti não assinalado e criou boa parte dos desequilíbrios na área do Paços.

– Melgarejo –
O paraguaio foi o melhor em campo e alguma coisa andará mal se não fizer parte do plantel do Benfica na próxima época.

Ficha de jogo;
P. Ferreira, 1
Benfica, 2

Jogo no Estádio da Mata Real, em Paços de Ferreira.
Espectadores Cerca de 5.500

P. Ferreira: Cássio, Nuno Santos, Filipe Anunciação, Ricardo, Luisinho, André Leão, Luiz Carlos (Ozéia, 80’), Vítor (Christian, 87’), Manuel José (Arturo Álvarez, 34’), Melgarejo e Michel. Treinador Henrique Calisto.

Benfica: Artur, Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Capdevila, Javi García, Axel Witsel, Bruno César, Nolito (Gaitán, 46’), Saviola (Nélson Oliveira, 46’) e Cardozo (Rodrigo, 90’+1’). Treinador Jorge Jesus.

Árbitro: Bruno Esteves, de Setúbal. Amarelos Javi García (10’), Michel (28’ e 76’), Bruno César (42’), Luisão (49’), Luiz Carlos (67’), Nélson Oliveira (83’), Maxi Pereira (85’) e Artur (90+3’). Vermelho por acumulação Michel (76’). Vermelho directo Ricardo (88’).

Golos: 1-0, Michel (28’); 1-1, Gaitán (63’); 1-2, Bruno César (68’).