Tagged: FPF

O timing do castigo aplicado a Jorge Jesus

Muito se fala do tempo, do tempo que faz, do tempo que passa, da falta dele, de outros tempos.. em futebolês fica mal usar o termo lato da palavra, diz-se “timing” , a coisa fica mais embelezada, modernices digo eu.

O comunicado de indignação do fc porto ontem, criticou o timing do castigo aplicado a Jorge Jesus, 15 dias aplicados ao nosso treinador aparentemente pareceu-lhes um bom tempo, mas o timing, esse bandido, o timing não lhes favoreceu como esperavam.

Como peritos em timings que são os lacaios do fcp, sejam eles dirigentes, sad, treinadores, jogadores, adeptos, jornalistas, comentadores e toda a mais VARAiedade, caíu muito mal ver a sua especialidade ser assim usada em vão pelo conselho disciplinar da F.P.F.! Afinal de contas são mais de trinta anos a desenvolver um trabalho árduo em especializarem-se em timing. A época passada o seu treinador apareceu no timing certo, sugerindo que encomendassem já as faixas de campeão, o alerta foi dado e foi o que se viu, um autêntico desfile de manobras dentro e fora das quatro linhas, não fosse o recente especialista ver o seu discurso cair em saco rôto. No futebol existem pessoas que dominam, nas mais variadas posições, o timing. Um pénalti claro no 1º minuto de jogo não se marca, uma entrada ás pernas de um jogador a varrer aos 8 minutos não deve levar vermelho directo, um golo limpo nos instantes finais de um 1º jogo da liga não se valida, um fora de jogo berrante que dá golo justifica-se com o timing da “desmarcação” e assim por diante. Mas o tempo esse, o tempo não perdoa e vai-se tornando cada vez mais claro, que o tempo deles se está a esgotar ! Nós aqui no BENFICA POWER regimo-nos por um tempo, um tempo de verdade, um tempo de valores e um tempo de conquistas, passadas,presentes e futuras ! Faça chuva,faça sol, o nosso tempo é só um : O de um BENFICA intemporário, sempre com a eterna RAÇA QUERER e AMBIÇÃO !

Anúncios

Recurso a árbitros estrangeiros nos campeonatos profissionais

A Assembleia Geral extraordinária da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) aprovou ontem o recurso a árbitros estrangeiros nos campeonatos profissionais, ratificando a proposta da Liga de Clubes.

Diz a proposta agora aprovada… «Podem igualmente arbitrar competições organizadas pela Liga os árbitros e árbitros assistentes inscritos em federações estrangeiras com as quais a FPF estabeleça contrato tendo por objecto o intercâmbio de serviços em condições de paridade que possuam categoria equivalente às referidas.»

Espero para ver na prática esta medida concretizada.
O mais incrível é o facto deste assunto ter sido praticamente abafado na imprensa… 

A ver vamos

Também queremos um Charter só para nós !

Pinto da Costa, Joaquim Oliveira, Antero Henriques, Miguel Relvas e acompanhante, Rui Oliveira e Costa, José Luís Arnaut e mulher, Alexandre Mestre, Marques Mendes, Vítor Baptista bem como mais de 80 elementos dos órgãos federativos.

Não, não é a Sequela de Goodfellas…. É “apenas” o séquito de Fernando Gomes que teve direito a um Voo Charter para a Polónia oferecido pela FPF (ida e volta no mesmo dia) no valor de 130 mil euros…

Estamos chateados claro… pelo grupo que juntaram, ou dinheiro gasto? Não !!! Estamos chateados sim porque o Fernando Gomes nem um telefonema fez aos elementos do BENFICA POWER a perguntar se queriamos ir. Não se faz…

VERGONHA, procura-se em Portugal

Gilberto Madaíl? É um “gajo” porreiro !

Sobre Gilberto Madaíl, admito ter-me divertido com os seus comentários. Então vamos lá a isto.

Em Portugal, o que parece, não é. E o que não parece ainda é menos. Na verdade, em Portugal, quase nada é.

Gilberto Madaíl, é um “gajo” porreiro !

Porreiro, é o termo que uso sobre determinado tipo de pessoas que são isso mesmo, PORREIRAS….apenas têm um pequeno problema….não interessam a ninguém.

Nunca se deve dar poder a um tipo porreiro. No início ninguém dá nada por eles. Mas pouco a pouco vão conseguindo afirmar o seu espaço. Não se lhes conhece nada de significativo mas começa a dizer-se deles que são porreiros. Geralmente estes tipos porreiros interessam-se por assuntos também eles porreiros e que dão notícias porreiras. Note-se que,seja no dirijismo desportivo ou na política, os tipos porreiros muito frequentemente não têm qualquer opinião sobre as matérias em causa mas porreiramente percebem o que está a dar e por aí vão com vista à consolidação da sua imagem como os mais porreiros entre os porreiros. Ser considerado porreiro é uma espécie de plebiscito de popularidade. Por isso não há coisa mais perigosa que um tipo porreiro com poder. E Portugal tem tido o azar de ter tido ano após anos gajos porreiros com poder.

Se nos pusermos num exercício culpabilizante e quisermos aferir que cabeças deverão rolar por conta do estado em que se encontra a “COISA” chamada Futebol Profissional em Portugal que arruinaram e hipotecaram vai para 2 gerações a verdade desportiva uma das primeiras cabeças a ir para o cutelo, destacadíssima de todas as restantes é a de Gilberto Madaíl.

As suas declarações fazem-me lembrar a questão das faltas do encosto seguido de um número de circo ou de um salto encarpado para a piscina. O termo que me vem à cabeça com as declarações de Gilberto Madaíl é: “Intensidade”. Falta ou não? A melhor resposta de jornalistas, dirigentes e paineleiros “É uma questão de Intensidade”.

Neste caso, é uma questão de “Pressão” ou “Pressões”.

Para Madaíl: “«Recordo-me de uma única situação que eu saiba…”

Para Scolari, começaram logo no dia em que chegou no Estádio do Restelo.

Tal como na questão da Intensidade, as declarações de Madaíl valem ZERO quanto à credibilidade das mesmas. Já quanto à oportunidade estatal de pegar de uma vez nesta podridão valem milhões. E elas (as oportunidades, vão-se sucedendo sem que ninguém faça nada).

Retomando Madaíl: “Nem mesmo o Papa era capaz de fazer Scolari mudar de posição”, diz Gilberto Madail, um dia a seguir a alguém ter dito sem as habituais conversas redondas a que infelizmente estamos habituados o que tácitamente já sabiamos. Apenas vem sublinhar que tal influência começou suavemente nos anos 80, reforçou-se em Saltillo, teve uma pequena pausa com Humberto Coelho (posto a andar com a melhor média de resultados de qualquer Selecção de  Portugal) mas rapidamente retomada.

Perante isto, só me ocorrer Blafesmar, porque a Blasfémia é a melhor defesa contra o estado geral de bovinidade em que se encontra o nosso Futebol Profissional.

Espero sinceramente que esta notícia seja verdadeira…

Segundo o jornal abosta de hoje, a Federação Portuguesa de Futebol,  (FPF) prepara-se para chumbar o alargamento da Primeira Liga para 18 clubes, baseando-se principalmente no facto de a decisão da Liga violar a integridade da competição.

Muito sinceramente espero que esta notícia seja verdadeira, pelo menos nos moldes em que o vergonhoso alargamento foi aprovado na Assembleia-geral da Liga de Clubes, da passada terça-feira, onde foi decidido o alargamento sem descida de divisão dos últimos classificados. De facto mais um atentado à verdade desportiva e à idoneidade das restantes oito jornadas que faltam disputar até ao fim da competição, onde com toda a certeza tudo iria valer…, se já agora vale, imagino se não descesse nenhum clube!

Esperemos que a FPF cumpra, e não se deixe ir na cantiga…

Leia também: De mal a pior!