Tagged: Apito Dourado

A verdade é ódio para os que odeiam a verdade

Pinto da Costa“Era sabido. Terminado vitoriosamente o jogo, frente ao Sporting, começaram a ser disparados mísseis falaciosos com origem no Porto.

Vale tudo, mesmo tudo. Até vale uma refeição do presidente, Luís Filipe Vieira, com personalidades políticas, denúncia feita por alguém que sempre teve, ele sim, relações promiscuas com dirigentes partidários. 

Vale tudo, mesmo tudo. Com um descaramento indecoroso, vale acusações a um árbitro que, melhor ou pior, não esteve envolvido no famigerado Apito Dourado. De resto, o mesmo juiz que expulsou Aimar, na pretérita temporada, num episódio passível de crítica.
De resto, um auxiliar que validou, também recentemente, um golo irregular, na Luz, ao FC Porto. O problema é o próximo jogo na Madeira. O Benfica vai jogar frente ao Marítimo? Vai, mas também vai jogar contra todos os seus detratores.
A partida deve ser decisiva no atinente à conquista do título nacional. Com todo o cinismo, quem até se permitiu dar conselhos matrimoniais a árbitros, virou virgem, virou coisa imaculada.
O Benfica está preparado. A pressão é brutal, mas o colectivo está preparado, bem preparado. E os adeptos sabem o que está em causa, sabem que há quem tudo faça, nestas horas que antecedem o embate, para viciar o resultado, para obstar ao triunfo vermelho. São métodos do passado, desse passado que inquinou a Verdade Desportiva, que adulterou resultados, classificações, troféus.
Vamos ganhar na Madeira, vamos dar um passo agigantado rumo ao título.
Malheiro e EusébioEstamos UNIDOS nesse propósito. Enquanto isso, o desplante continua. As falsas virgens mugem, nós queremos e vamos ganhar. Também contra a prostituição futebolística.»
– João Malheiro, jornal ‘O Benfica’, 26 de Abril de 2013
Anúncios

Para Miguel Sousa Tavares “A sua tese tem partes boas e partes originais. Infelizmente, as partes boas não são originais e as originais não são boas».

Nortada ! É assim chamada a coluna de opinião do MST no jornal “A Bola”. Mas se o homem defende o seu clube azul, porque dá o nome de Nortada? Bom, na interpretação da pergunta encontram o segredo da resposta!

Um artigo do norte, carago! Ouvir-se-á por aí…Mas ó Miguel, só que o Norte é Vermelho…

MST grande prodígio da literatura vem esta semana defender duas teses:

A primeira, que os “incidentes” da Luz após o jogo de Hóquei em Patins SL Benfica – FC Porto se devem a não sabermos perder. A segunda que o Apito Dourado está a ser ressuscitado sem qualquer sentido apenas com o objectivo de o perpetuarmos.

à agressão daquele energumero de nome Bosh, uma coisa é certa, não existe qualquer agressão por parte dos nossos adeptos e existe uma brutal stickada num adepto que apesar de atingido ainda se desviou o suficiente para que não estivéssemos a lamentar neste momento algo muito mais grave.

Mas, não se fixem apenas neste Bosh. A “educação e postura” deste clube esteve bem à vista de todos. Reparem nas provocações de vários outros jogadores e nas imagens de ameaça por parte dos mesmo ao público empunhando “corajosamente” um Stick com crianças pelo meio do público.

Este Clube não pode continuar continuar impune no desporto nacional. Não compete, espuma raiva e ódio. Tal se deve como é óbvio ao que tanta imprensa chama de “excelente organização”. Concordamos com o termo “organização” MAS sim CRIMINOSA !!! E não ficam impunes, os embaixadores de Pinto da Costa. Um tal de Franklim e outro de nome Ilídio Vale, são acima de todos os principais responsáveis. Que não se perdoe nem se esqueça. Se me esqueci de Tó Neves? Não, mas devo respeito a quem tem um QI abaixo da média para me preocupar com ele.

A segunda tese de Miguel Sousa Tavares, sobre termos ressusitado o Apito Dourado começa logo por falhar na expressão escolhida. Não existe necessidade de ressuscitar quem está vivo. No resto, resumo cinco colunas de texto de MEC nesta pérola “ao longo de todo o processo, Pinto da Costa  afirmou sempre que a visita do Árbitro foi inesperada e o deixou incomodado“.

Estas “Nortadas” não passam neste momento de brisas que apenas nos fazem sorrir. O Futebol precisa de gente que não se deixe intimidar. Os vários agentes que se movem no nosso futebol devem perceber que não existem intocáveis e nós estamos a chegar a eles.

Aqui ficam algumas das frases que se podem reter da postura tida por Ricardo Costa, Presidente da Comissão Disciplinar da Liga. numa Célebre entrevista ao Jornal “Sol” .

Eis que quem decidiu atirar o Boavista para os confins dos campeonatos nacionais é adepto do …Boavista. Situação curiosa, mas apenas pelo facto de o futebol português não estar preparado para saber os Clubes das pessoas que exercem este tipo de cargos.

 Eis quem em 2004 começou a ver algo muito simples, apenas em 2004 a Justiça começa a intervir no Futebol !!!

 Curiosa a sua resposta à seguinte pergunta:

 “É o caso de dois jogos que levaram à condenação do FC Porto e do seu dirigente Pinto da Costa. Se fosse hoje, o clube azul e branco seria punido com a descida de divisão por causa dos actos cometidos pelo presidente?”

 Resposta de Ricardo Costa: Exacto, com os novos regulamentos o FC Porto teria sido punido com a descida de divisão por tentativa de corrupção”

Perante isto, digo eu, e recordo que a subtracção de seis pontos ao FC Porto acontece numa altura da época em que o clube era já virtualmente campeão. Justiça vã!!! Justiça para calar. Boavista usado como bode espiatório.

 O Futebol e a Justiça precisa de gente que não se deixe intimidar. Precisamos acabar com a ideia fixa na cabeça “daqueles bandidos” a que me referi, de que lhes bastará ficar sossegados e quietos, à espera que tudo prescreva. Em frente, sejamos optimistas, é necessário acabar com a impunidade generalizada.

Benfica PowerNortadas…. Podem ser Suladas, Oestadas ou Estadas. Serão sempre vermelhas.

Ó Baptista, não sai mais vinho para a mesa do Sr Bruno Carvalho

“Queremos um Benfica Campeão”

Que excelente frase ! Um verdadeiro achado, uma frase lapidar para ser gravada num mural na entrada da Catedral.

Quem o diz é um verdadeiro visionário. Como iria um Benfiquista lembrar-se de tal coisa? Que extraordinária constatação…Sendo benfiquista, nunca poderia imaginar tal objectivo.

Infelizmente, “apenas” me lembro de primeiro, por culpa própria (após Jorge de Brito) termos permitido que o Sistema se tivesse apoderado do que se apoderou (incluíndo o cérebro de ervilha do leão). Após o que, esse mesmo Sistema fez o que bem quis e entendeu por 3 décadas, e nos registos Oficiais lavram não sei quantos titulos sujos. Mas estão lá. 3 décadas que fazem da Justiça Desportiva uma anedota mesmo se contada no reino das Berlengas à abundande população de gaivotas. 3 décadas que apenas a Justiça da Consciência de quem não foi chipado pelo polvo azul sabe serem a vergonha nacional (não só desportiva).

“Queremos um Benfica Campeão” que maravilha! Os portistas nunca se lembraram de tal frase nem de tal vontade, os sportinguistas também não, Os madridistas também não, os do Barça idem, os milanezes nem pensar….

Infelizmente a Internet tem de positivo quase tudo, menos um corrector de Wishfull Thinkings gastos.

Pois bem, não tendo sido o génio que decobriu esta verdade do “Queremos um Benfica Campeão” “apenas” pedi que ao SL Benfica fosse devolvida a sua histórica cara lavada, a recuperação da credibilidade do Clube, mas de forma sustentada, sabem, aquela de não termos contas da luz ou da água, por pagar, coisas menores….

Coisas “menores” que estão tratadas e de forma sustentada.

Pedi que o SL Benfica fosse além de eclético e um mero participante em modalidades, que lutasse pela vitória em todas elas. Neste momento, é uma realidade.

Pedi que não fosse possível chegar aqui uma Fiorentina e nos desviasse um Rui Costa contra a sua vontade para podermos pagar as continhas da lavandaria e do talho por andarmos de calças na mão. Neste momento, em contra ciclo com a infeliz realidade do país, a capacidade negocial do SL Benfica fala por si. Não nos aparecesse aqui um qualquer barrabotas a acenar de forma irónica com uma esmolinha e nos leva qualquer jogador. Está atingido esse objectivo, e numa altura, em que lembro, Luis Filipe Vieira disse aos benfiquistas faz mais ou menos um ano que não esperassem grandes investimentos. Por ventura muito benfiquista estaria mais contente com o discurso evasivo de Godinho Lopes enviado aos associados do SCP ou com a salganhada de contas do FCP. Lamento, eu não. Prefiro a clareza de processos.

Anjinhos? Só no Céu. Luis Filipe Vieira, iniciou o seu mandato de forma titubeante e inexperiente mas tem vindo a aprender que se queremos paz, o melhor é prepararmo-nos para a Guerra. Não chegou ainda ao patamar que sei ser possível à figura que lidera o Sport Lisboa e Benfica, mas tudo tem para lá chegar. Qual o meu ideal num presidente do Sport Lisboa e Benfica? Simples, que negoceie como Churchill e actue como o Patton.

“Queremos ser Campeões” Claro que queremos, mas antes existem felizmente pessoas que vos preparam o terreno para que não sejam motivo de chacota ao dierem tal frase.

Faz falta uma candidatura, atenção, falo em Candidatura, não em lunáticos a quem já mandei tirar o garrafão da mesa….”Ó Baptista, não sai mais vinho para a mesa do Sr Bruno Carvalho“. Uma candidatura que me faça pensar e não vomitar. Ela é necessária, existem aspectos importantíssimos a serem discutidos, aspectos a sabermos qual a posição da actual direcção e desta forma arriscamo-nos a que o actual Presidente por mais que queira se não tiver um candidato pela frente pode não esclarecer, não por maldade, mas por falta de interlocutor.

Por fim, aos que diariamente mandam imagens, comunicados (ainda por cima pessimamente redigidos) que (sem ironia) apresentem ideias sem ser essa do “Quero ser Campeão” (quanto a esta douta frase,tenham calma que o vão ser) ou das contas mal apresentadas, nesta é nitida a falta de conhecimento económico financeiro mesmo ao nível mais básico. Confrangedor, ler o que se comenta neste aspecto.

Querem ideias? Eu ajudo.

#Estamos atentos ao nascimento de uma nova realidade a nível Europeu pela compra de Clubes por parte de magnatas e empresas por meios menos transparentes que contornam de forma ridicula as normas da UEFA estabelelidas na FFA?

#O que pode ser feito para tornar a marca Benfica mais agressiva em termos comerciais? O que pode ser feito para tornar a imagem institucional do Sport Lisboa e Benfica adequada aos tempos que decorrem, para vermos os canais oficias de comunicação do Sport Lisboa e Benfica mais libertos de movimentos e mais inovadores? Os orgãos oficiais do Sport LIsboa e Benfica tem de ser a Máquina que nos puxa e não o contrário.

Há uns anos atrás, finais dos anos 80, era olhos nos olhos que olhavamos qualquer adversário. Por fim isso está a voltar e não foi com escritas inócuas no facebook que tal foi conseguido. Foi com trabalho e estratégia clara no rumo a tomar. Mantendo-o, auguro algo de muito positivo ao SL Benfica num curto prazo de 2 a 3 anos e que por fim permitirá a quem agora anda nas correntes caricatas do Facebook com slogans “Queremos um Benfica Campeão” ter de arranjar um outro Slogan. Sejam criativos, justos e já agora, menos cu no Sofá e mais acção no apoio ao Sport Lisboa e Benfica !

Saudações Gloriosas

Rui Alves, demite-se… por terem fechado parte da “torneira do financiamento”? Cada um faça a sua leitura !

Rui Alves demitiu-se.

Porque cortaram o financiamento ao Nacional? Não acredito. Acredito sim na oportunidade aguardada para poder saír.

Sobre as décadas de financiamento a Clubes como Marítimo e Nacional nem sequer  merecem comentários por ainda ser merecido algum respeito a ter sobre os portugueses e estado a que chegou o país e a região autónoma da Madeira. Apenas reforço, não acredito que o corte na torneira dos subsidios a estes dois Clubes seja motivo para esta decisão.

Como por aqui a memória não é curta, nem foi necessário grande esforço para encontrar o seguinte:

(Agora, cada um pense por si)

12 MAIO 2008 – DN

Nacional-Benfica arquivado pela Liga pode ser reaberto

“Processo está em fase de instrução na justiça criminal. Se o caso for a tribunal e houver condenações, a CD reabre o processo.

O convite ao árbitro para um “cafezinho” antes do jogo, o pedido de um bilhete para o FC Porto-Manchester e algumas conversas telefónicas entre dirigentes, um empresário de futebol e o juiz da partida não foram suficientes para a Comissão Disciplinar dar como provado a tentativa de corrupção de Augusto Duarte, no Nacional-Benfica (3-2, em Fevereiro de 2004). Porém, o arquivamento do caso por parte da CD no âmbito do Apito Final não significa que o Nacional-Benfica esteja arrumado do ponto de vista desportivo.

É que este encontro faz parte do processo “Apito Dourado” e está em fase de instrução. Se for a julgamento e os acusados – Rui Alves, presidente do Nacional, Augusto Duarte e António Araújo, empresário ligado ao FC Porto – condenados, o processo disciplinar agora arquivado deverá ser reaberto.

O Ministério Público acredita que os suspeitos arranjaram forma de prejudicar o Benfica, em benefício do FC Porto, uma vez que na ocasião ambos os clubes ainda estavam na luta pelo título de campeão nacional de futebol e a vitória do Nacional afastou os encarnados da luta pelo título.

“Sob suspeita estiveram os contactos telefónicos estabelecidos entre António Araújo e Rui Alves antes e após o jogo, conjugados com a demais conduta de Araújo, nomeadamente café combinado com Augusto Duarte, os contactos estabelecidos com os dirigentes da SAD do FC Porto e a oferta do bilhete ao árbitro, por serem susceptíveis de indiciar corrupção do árbitro”, lê-se no acórdão de arquivamento do processo.”

Agora com som:

OUVIR COM ESPECIAL ATENÇÃO ATÉ AOS 2´50: “TOCA A ANDAR”

Agora? Reflictam…

Pedro Proença. Para lembrar a frase: «É O QUE A GENTE COMBINOU»

Ao ler as declarações de ontem de Proença,  de imediato a palavra “QUEM” fez tocar bem alto e com estrondo o sino. “Quem...” ? “Quem” não é nada !!! Quem diz “quem” sabe ! Quem não diz o que “sabe” ou lhe é indiferente ou terá medo porque estará incluído no “quem”?

Já ninguém ou poucos ligam ao facto de caso após caso toda esta gente implicada no Apito Dourado ter passado impune à justiça, uns por pretensos buracos na lei terem sido aproveitados por ratos de Direito outros por Juízes que condenaram “uma escuta” ao Gondomar e não consideraram dezenas delas a Pinto da Costa.

Mas, creio que ainda mais gente se esquece que Pedro Proença foi mencionado no processo do Apito Dourado. Esquecidos. Nós recordamos, o que uma vez mais se encontra nas gravações:

Na véspera do encontro que decidiria a Supertaça da época de 2003-2004, o presidente do FC Porto preocupava-se em saber quem seria o árbitro que iria dirigir o confronto que poria frente a frente FC Porto e União de Leiria. Assim sendo, nada como obter informações junto de Pinto de Sousa, o presidente do Conselho de Arbitragem.

A frase que saíu? Significativa:

«É O QUE A GENTE COMBINOU»

Na véspera do encontro que decidiria a Supertaça da época de 2003-2004, o presidente do FC Porto preocupava-se em saber quem seria o árbitro que iria dirigir o confronto que poria frente a frente FC Porto e União de Leiria. Assim sendo, nada como obter informações junto de Pinto de Sousa, o presidente do Conselho de Arbitragem.

Mais uma escuta descoberta entre Pintos – o da Costa e o Sousa:

Conversa interceptada entre Pinto da Costa e Pinto de Sousa no dia 30 de Junho de 2003…

…basta esta passagem… Pinto de Sousa para Pinto da Costa:

Pinto de Sousa: – “É…mas vou devagarito, pá, calmamente…vou falar com o Pedro Proença!”

Pinto da Costa: – “Vais?”

Pinto de Sousa: – “…grande jogo em Guimarãe, pá! Vai fazer um grande jogo!”

Pinto da Costa:- “Com recado para não expulsar ninguém”

Pinto de Sousa:- “Eh! Eh! Eh!”

…Nove dias mais tarde, no estádio Municipal de Guimarães, Pedro Proença seria de facto o árbitro da Supertaça. O Porto venceria por 1-0, golo de Costinha aos 55 minutos…

A imprensa unanimente destacou que o único golo da partida Costinha saltou com o guarda redes leiriense tendo este sido nitidamente impedido de chegar à bola pelo jogador portista…

Expulsões…De um jogador adversário.. e assim os Pintos puderam dormir descansados.

Afinal, o termo “quem” em tudo idêntico ao habitual “ah e tal foram eles…” de quem nem fala nem está calado antes pelo contrário, tem nomes associados, certo? Sim, a pergunta é retórica. Afinal, Pedro Proença, como ficamos, o seu nome surgindo no diálogo e com as conclusões óbvias, servem para poder identificar os nomes? Ou ficamos pelos bois?

Não, como é óbvio não nos esquecemos, nem nos iremos esquecer !

Resultados viciados! Itália, agora Espanha. E Portugal? Alguém mete as mãos no fogo?

Javier Tebas ex-vice presidente da Liga de Futebol Profissional de Espanha afirma que há resultados combinados nos jogos de futebol em Espanha.

Eis a sua afirmação à agencia EFE quando questionado sobre o tema:

«Sim, existem. É numa minoria de jogos, mas existem encontros em que se estão a combinar resultados. O perigo ocorre quando se compram dois jogadores para fazer penalties ou  quando há jogadas para que se consiga um resultado que prejudique um terceiro. Os objectivos são claros, promoção ou subidas de divisão, ou mesmo em jogos que decidem campeonatos»

Isto em Espanha. Agora questiono eu, com tudo o que se soube e sabe e que resultou em…nada. Se é que se pode chamar “nada” à impunidade, será que alguém mete sem medo as mãos no fogo, sobre a possibilidade de algo similar acontecer em Portugal?

Entre vários casos, e reportando-me apenas a esta última temporada, recordem isto:

Especulação? Sim é ! Claro que é.

Mas…“Apito Dourado” antes dele o que se dizia? Certo, tudo também era especulação e no entanto…Aqui fica o alerta.

Sobre a possibilidade de isto acontecer no nosso país, tal como aconteceu na Itália, como  acontece em Espanha a crer nas palavras do ex Vice Presidente da Federação Espanhola de Futebol, alguém pode afirmar que não se pode passar o mesmo?

Diferenças; em Itália uma investigação desmantelou uma rede de manipulação de resultados na qual os jogadores estavam envolvidos e onde houve prisões. Já Javier Tebas, diz  que na Espanha não há mercado para as tais ” apostas ligadas à manipulação de resultados “, mas que há “compra de jogadores” igualmente para provocar alteração de resultados. Ou seja, os meios são diferentes, mas a finalidade é a mesma.

Lembro o o seguinte, se o fenómeno das apostas em jogos começa agora a crescer no país vizinho, alguém duvida que mais cedo ou mais tarde surjam também por cá?

O certo é que existem já meios para combate (ou tentativa de) entre a UEFA, a Interpol e as casas de apostas. A primeira medida tomada é o pedido de proibição de prémios a terceiros porque é aí o início e o fim do motivo da compra de jogos.

Sim, não tenho a mínima dúvida que tal situação acabará por chegar a Portugal. Sem dúvida, vão sempre aparecer as vozes discordantes, seja por uma questão de honra ou por uma questão de competência. E aqui deverá estar o nosso maior alerta. Se o Governo não actuou em algo tão óbvio como o Apito Dourado, não “beliscando as competências” da entidades futeboleiras que não desportivas como nos fizeram querer passar, não seria tempo de estarem atentos ao que se vai passando por Itália e em Espanha?

Entre diversas razões que melhor ou pior qualquer português conhece, e que dão pelo nome de influências, abusos de poder, etc… o certo é isto: A grande maioria do meio do futebol concorda com o Status Quo existente, porque a grande maioria dos clubes de futebol lá vão pagando os seus impostos no dia certo ou passados meses, mas, salvo raras excepções todos acabam por pagar.E se assim é para quê mexer no que se passa?

Mais, os clubes têm dívida prorrogada e garantida, apesar de já terem percebido que o dinheiro deve estar nos cofres do Estado porque, mesmo que atrasado, é normal que o adiamento é um tema cíclico e não estrutural .

Estou convicto que se houvesse vontade política para iniciar “hoje” uma credibilização a todos os agentes futeboleiros (ditos desportivos) já iriamos tarde. Espero que estejamos todos por cá, para ou me dizerem “estavas errado” ou “afinal, deviamos ter começado mais cedo…” A ver vamos. Não esqueçam que a situação dos clubes de futebol é quase tão como complicada como a do país. A diferença está no tipo de “Troika” existente em cada realidade…

Que ninguém me acuse de pessimismo, porque reforço a forma como terminei “é quase tão complicada…” 🙂

Está tudo perdido? Não ! Mas para isso, investigue-se, denuncie-se sem ter medo de o fazer quando se suspeita, para que se leve até ao fim a investigação.  

Mas afinal de que têm medo os adeptos do Porto?

Mas afinal de que têm medo os adeptos do Porto?

As escutas existem? Sim!  Mas podem ser usadas? Não! Mas nas escutas não é claro o ilícito corrupto activo e passivo? Sim! Então os intervenientes vão ser condenados? Não!

Não querendo enaltecer em excesso o verdadeiro prodígio que são as minhas reminiscências, mas a verdade é que compreendi tudo sobre o futebol português no dia 21 de Setembro de 1994. Disputavam-se os últimos cinco minutos da segunda mão da final da Supertaça, no Estádio das Antas. Quem marcasse, ganhava. E o Benfica marcou. Custou um bocadinho, mas marcou. Lembro-me como se fosse hoje: Carlos Secretário, um especialista a fazer assistências para os adversários, isola de forma brilhante César Brito. César Brito remata para excelente defesa com as mãos de Baía, que se encontra dois metros fora da grande área. O árbitro, Donato Ramos, mira inexoravelmente a lei que se aplica em jogos no Estádio das Antas e manda seguir. Por sorte, a bola sobra para um jogador do Benfica chamado Amaral. Amaral chuta e José Carlos, defesa-central do FC Porto, encaixa a bola na própria baliza. Golo. Mas, eis quando… o árbitro auxiliar, que naquela altura ainda se chamava bandeirinha, levanta a dita. No momento em que o jogador do FC Porto marca o autogolo, há um jogador do Benfica, a uns 15 ou 20 metros de distância, que está em fora-de-jogo posicional. Inteligentemente, Baía tinha saído da grande área para defender com as mãos o remate de César Brito, deixando depois este último em posição irregular. Golo anulado.

É claro, fiquei esclarecido. Quando surge o escândalo dos quinhentinhos do Guímaro, nem um minuto de atenção dediquei ao assunto. Para quê? Quando Carlos José Amorim Calheiros (conhecido no mundo do futebol como Carlos Calheiros e no mundo das agências de viagens como José Amorim) foi de férias para o Brasil com a viagem paga pelo FC Porto, tudo demonstrado por facturas, encolhi os ombros, e disse, qual a novidade? O clube da organização e do rigor tinha pago, por engano, uma viagem a um árbitro. E daí? Quem nunca pagou uma viagem a um árbitro por lapso que atire a primeira pedra. Acontece-me pelo menos uma vez por mês. Quando li as escutas sobre a «fruta para dormir» e os «rebuçadinhos para a noite»? Virei a página, que eu cá gosto é de novidades. E quando Pinto da Costa confessou que recebeu um árbitro em casa na véspera de um jogo, bocejei e retomei o que estava a fazer. Perspicaz, e mostrando que os amigos são o que de melhor temos na vida, Pinto da Costa ao ser avisado por um dos seus dedicados amigos, que governa a sua vida na Judiciária, ala para a Galiza onde aproveitou para comer umas belas Vieiras.

Receios dos adeptos do FC Porto em que possa suceder ao seu clube o mesmo que ao amigo Loureiro? Nahhh, nada disso Tudo calmo. Irradiados da Champions? Nahhh. Por isso, ouçam lá meus caros, se não aconteceu nada depois do golo do Amaral, dos quinhentinhos, do José Pratas a bater o recorde dos 100 metros à frente do Fernando Couto em Coimbra, do Calheiros, da fruta para dormir do serviço de árbitros ao domicílio, do Apito Dourado ou parecer de Direito Administrativo, do Proença a dar-vos até ao momento 3 Campeonatos, acham que é o facto de o SPORT LISBOA E BENFICA ter uma Equipa objectivamente superior que vos vai tramar? Nada temam. Além disso têm tempo para ler os documentos antes de o comentarem. E depois podem dizer: «Sim senhor, gostei muito de ler o parecer, a história é empolgante, e tal e coiso, e coiso e tal, mas agora vou arquivá-lo aqui no caixote do lixo, ao lado desta factura em nome de José Amorim». Mais cedo ou mais tarde, é lá que ele vai parar. Diz-se pelos meandros da Cedofeita, que Pinto da Costa terá dito “juízes, justiça? É pá vão mas é trabalhar no trabalho…”

Origem do Apito Dourado? Lembrem-se de quem disse: “Só vou para um clube que dê garantia de contar com os árbitros.”

«Há clubes que fazem tudo para vencer, para se auto proclamarem vencedores, e que transgridem as regras de forma obscena. Uma das coisas mais surpreendentes de tudo isto é a repetição nos nomes das equipas. São quase sempre as mesmas: Juventus, FC Porto…» – Santiago Segurola, director-adjunto do jornal A Marca

A história encarrega-se de deixar bem marcadas as manigancias de Pinto da Costa e seus acólitos. Ridiculas umas, anedóticas  outras e ainda outras muito sérias. Factor comum neste “Pulpus Curruptus” em que se transformou o FC Porto registar que os árbitros foram presa apetecível e indispensável na estratégia da dupla Pedroto-Pinto da Costa no topo, e de mais algumas personagens secundárias que entretanto não resitiram à erosão da Justiça do Tempo. Foram estes sabendo que controlando o sector da arbitragem tinham o caminho desbravado para dominarem o futebol português.

A entrevista que em 1988 Pedroto concedeu ao falecido jornalista Neves de Sousa do extinto Diário de Lisboa, é disso um perfeito testemunho.

Quer queiramos quer não, o processo ‘Apito Dourado’ despertou consciências que de tão habituadas estavam adormecidas. Finalmente, a tal corrupção de que repetidamente se falava mas nunca se concretizava,  tinha ‘pés para andar’, existiam razões objectivas, haviam factos e sobretudo nomes.

Como seria de esperar, os visados e os seus “ratos das leis” conhecedores de todos os buracos da Lei e utilizando todas as formas de esquiva processual ao seu alcance perante a Justiça que temos conseguiram que o Apito Dourado fosse desacreditado perante os tribunais. Perante a opinião pública? Claro que não. Podem dar as piruetas juridicas que quiserem que a marca “corruptos” está eternamente vincada pela lamina da faca da verdade na sua pele de dragão azul.

O Benfica bem pode ter um plantel de qualidade comprovada  e saber que está em condições de lutar ‘no campo’ pelo título de campeão, e com larga vantagem que surgem os apelos velados ao “PAPA” para que os velhos hábitos surgam com personagens antigas com cheiro a naftalina em conjunto com alguns “novos alunos” que vêm a ser preparados ao longo dos últimos anos por Pinto da Costa e sua velha guarda pretoriana.

Mas afinal onde e como nasceu a estratégia que acabou por ser chamada de Apito Dourado?

Sentem-se confortavelmente e leiam o que se segue.

Episódio contado pelo jornalista Neves de Sousa:

Pouca gente soube que o muito saudoso José Maria Pedroto esteve a um pequeno passo de ser treinador do Sporting, quando João Rocha era presidente do clube de Alvalade. Tudo estava acertado, pormenor por pormenor , até à mais ínfima partícula de um documento que vinculava as duas partes, pelo menos durante uma temporada futebolistica. Porém, no dia em que estava aprazado a assinatura nos papelinhos, Pedroto travou o gesto e subitamente disse para o  presidente do Sporting: “Esqueci-me de lhe lembrar, mas falta aqui uma clausula. Está tudo certo, tanto em relação aos meus prémios, como aos meus vencimentos, o caso do apartamento e do carro às ordens, tudo muito bem, mas o senhor presidente esqueceu-se de que eu lhe tinha dito logo no primeiro encontro: só vou para um clube que dê garantia de contar com os árbitros.

“Como, não percebo?”, indagou João Rocha, nessa altura pouco habituado a saber o que era certa fatia da arbitragem, Pedroto meteu a caneta na algibeira, levantou-se e apenas disse: “Quinze mil são para mim, mas para os árbitros são precisos outros tantos, caso contrário o Sporting só ganha campeonatos lá para o fim do século.”

O contrato acabou por não ser assinado. Pedroto rumou para outra latitude, mais compreensiva. O Sporting continua a ver navios.

Assinou então contrato com o FC Porto, após uma investida directa de Pinto da Costa, que estava devidamente autorizado pelo Presidente Américo Sá para contratar a qualquer custo o treinador português. José Maria Pedroto apenas colocou uma condição que se verificou: que Pinto da Costa fosse o Chefe de Departamento de Futebol Profissional. Começava assim uma dupla que marcou e marcará inquestionavelmente para sempre uma época no futebol português.

Pinto da Costa e José Maria Pedroto traçaram uma estratégia que visava afrontar todos os poderes instalados no futebol português e de uma vez por todas acabar com a hegemonia dos clubes da capital.

A temporada de 1976/77 foi altamente conflituosa. O FC Porto acabou apenas em 3º lugar no Campeonato Nacional da 1ª Divisão a 10 pontos do SL Benfica que foi o Campeão Nacional. Venceu porém a Taça de Portugal numa final onde derrotou o SC Braga por 1-0.

No ano seguinte, finalmente, foi quebrado o longo jejum de vitórias dos FC Porto no Campeonato Nacional da 1ª Divisão. Os azuis e brancos sagraram-se Campeões Nacionais depois de um competição disputadíssima, decidida na “goal average”, com o SL Benfica, que foi 2º classificado, com a proeza inacreditável protagonizada pelo clube da Luz, que não perdeu qualquer encontro na prova e não foi campeão.

Renovou o título de Campeão Nacional na época seguinte de 1978/79 em mais um campeonato extremamente disputado com o SL Benfica. Em 1979/80 perdeu o título para o Sporting CP, quedando-se o FC Porto no 2º lugar do Campeonato Nacional da 1ª Divisão somente a 2 pontos dos leões de Alvalade.

Depois destes 3 anos à frente da equipa do FC Porto o clima de “guerrilha” no futebol português, envolvendo os principais clubes e os poderes de decisão na FPF, estava extremamente intenso e fortemente acicatado por José Maria Pedroto e Pinto da Costa. Era um chorrilho de polémicas e um constante ambiente fervente entre os protagonistas.

Depois do FC Porto perder o Campeonato Nacional da 1ª Divisão da época de 1979/80, não conquistando o tri, José Maria Pedroto foi afastado do cargo de treinador principal do azuis e brancos pelo Presidente Américo Sá que se dizia farto das polémicas e conflitos gerados pela dupla Pinto da Costa e Pedroto.

A saída de José Maria Pedroto e de Pinto da Costa do FC Porto foi conturbada originando o célebre verão quente de 1980, quando 14 jogadores do FC Porto, onde constavam nomes como o de Costa, Oliveira, Octávio, Sousa, Frasco, Gomes, entre outros, fizeram uma autêntica rebelião não comparecendo aos trabalhos no arranque da temporada de 1980/81.

O Presidente do FC Porto Américo Sá deixava o nome de Pinto da Costa fora das listas concorrentes aos órgãos sociais. Em forma de protesto e demonstrando estar ao lado do actual presidente portista, 14 jogadores não compareceram aos trabalhos de preparação para a nova época sob os comandos do austríaco Herman Stessl, entretanto escolhido para suceder a José Maria Pedroto.

A estratégia de Pedroto, para quando perdia, passava por imputar as responsabilidades pelas derrotas ao exterior. Quando perdia, a culpa ou era do árbitro, ou dos poderes instituídos no futebol português que teimavam em prejudicar a sua equipa.

Ele e o seu aprendiz, Pinto da Costa, dividiram o país, erigiram guerras sem fundamento, lançaram o ódio, a mentira e o cinismo para cima dos adeptos e do quotidiano desportivo.

Pedroto será talvez a figura, de entre todas as áreas de actividade, que mais mal fez a Portugal e à sua coesão colectiva no último quarto de século, um mal de consequências que só o futuro poderá apurar.

E o seu aprendiz é estranhamente tolerado e branqueado por uma comunicação social imediatista, superficial e reverente para com o poder, por dirigentes desportivos e agentes diversos que fazem do servilismo um modo de vida, e até por uma classe política medíocre e bajuladora, capaz de o receber, ano após ano, a expensas dos nossos impostos, nos luxos da Assembleia da República.

Deve dizer-se, de forma bem clara, que o objectivo de vida de Pedroto e de Pinto da Costa não foi atingido. Apesar dos títulos conseguidos pelo F.C.Porto – grande parte deles à custa das mais variadas formas de viciação, muitas delas para além das questões vindas a público no âmbito do processo Apito Dourado -, a verdade é que o clube nortenho nunca foi capaz de se afirmar como referência nacional, nem cativar a simpatia, ou mesmo o simples respeito, da esmagadora maioria dos adeptos portugueses, sobretudo fora das fronteiras da sua delimitada região.

Pedroto e depois Pinto da Costa nunca conseguiram matar a alma benfiquista, Mesmo tendo, ao longo deste período, ganho mais vezes, o F.C.Porto nunca venceu por si próprio, mas sim e sempre, contra alguma coisa. Contra o Benfica, contra Lisboa, contra o Sul, contra os fantasmas dos seus próprios complexos. Mesmo ganhando aos grandes nunca deixou de ser pequeno. Uma pequenez do tamanho do seu presidente, que transformou uma instituição outrora respeitável num antro de rancor e podridão.

O clube do povo continua a ser o Benfica, de Norte a Sul, do Minho ao Algarve, do Continente às Ilhas, e é por isso que o ódio de Pinto da Costa aos encarnados permanece tão vivo.

Pedroto e o seu aprendiz. O primeiro já faz tijolo há anos e o segundo estrebucha porque sabe que já não tem muito tempo e mesmo com 30 anos de roubos, continua a liderar um clube pequeno, que não soube evoluir, crescer, tornar-se grande. Eis quem lançou a semente de 30 anos de corrupção, ódio e guerra no futebol português.

O Respeito de Pinto da Costa. A amizade é dos sentimentos mais nobres.

Quem faz algo de bom, não precisa de tocar o sino.

Ficou muito bem a Pinto da Costa a afirmação “Tenho grande Respeito pelo Sporting“…

Ah sim claro, a dita, sim a FRUTA, nada tem a ver com desrespeito, apenas e só com a escassez da dita, sim da FRUTA. Caso contrário Pinto da Costa com tal respeito era homem para partilhar.

A amizade é dos sentimentos mais nobres, assim como a verdade.

A talhe de foice e por se falar em VERDADE  lembrámo-nos de vos deixar um excerto dessa grande obra:

Auto da Barca do InfernoVersão Pinto da Costa

 Chega Pinto da Costa ao reino dos mortos e dirige-se à barca do

Inferno :

Diabo:

– Meu querido irmão,

semente da corrupção,

mestre dos dragões

e líder de parvalhões!

Pinto da Costa responde, indignado:

PC:

– Qu’é que você quer dizer com parvalhões? O Porto é o melhor

do mundo.

VIVÓ PORTO, CARAGO!

Diabo:

– Clube de charlatões,

cheio de aldrabões,

jogam como burlões,

são uns grandes c….

PC:

– Mas o que é que está p’raí a dizer? Nós ganhamos todos os jogos

honestamente. Sem nenhuma excepção!

Diabo:

– Hahahahahahaha!

Os árbitros para a cama enviaste,

as cenas com prostitutas filmaste,

perante a família os chantageaste

e os jogos assim ganhaste!!!

PC:

– Mas não é possível! Como soube isso?

Diabo:

– Eu sei tudo e tudo vejo,

sinto as malícias e o desejo,

antes dos jogos que ganhaste,

todos os teus jogadores drogaste.

PC:

– Que calúnia! Isto é inadmissível!

Repentinamente, o telemóvel de Pinto da Costa toca:

PC:

– É só um momento… ‘Tou chim?…É p’ra mim!

Fala o Reinaldo Teles :

Emp:

– Olhe, senhor Costa, tenho óptimas notícias: Vendi o HULK, que

está com o tendão irremediavelmente danificado, ao Barça por 100

milhões e ainda nos deram o Messi! A propósito, o velho truque

do vídeo ainda funciona. Sem ele, o Messi não seria nosso. E

quanto ao jogo de amanhã.. .

PC:

– Cala-te, carago! Eu já te ligo. Agora estou muito ocupado.

Emp:

– É só para perguntar se devo desembolsar os 500 mil Euros que o

….aquele…você sabe… pediu ou se o deixo apodrecer na prisão.. .

PC:

– Já disse para te calares! Já te ligo!

Pinto da Costa desliga o telemóvel e retoma a conversa com o

diabo :

Diabo:

– Mas que linda conversa!

Entrai já e depressa!

PC:

– Nem pensar! Aquele barco acolá parece-me mais luxuoso!

Dirige-se Pinto da Costa à barca da glória :

PC

– Anjinho queridinho, fofinho,

de cabelo lavadinho,

arranja aì um espacinho

para eu abancar, sim?

Anjo:

– Ah, com que então sempre se aprende alguma coisa falando com

o diabo!

PC:

– Pois é. Aquela poesia acaba por ser contagiosa.

Mas, mudando de assunto, posso entrar?

Anjo:

– Como? Penso que não ouvi bem. Você quer entrar?

PC:

– E por que não? Sempe fui um homem bom e honesto.

E também consegui dar glória ao meu clube…

Anjo:

– À custa de corrupção, vigarice, drogas e um sem-número de

outros pecados.

PC:

– Mas como é possível?!? Você também sabe? Para que agência

de espionagem trabalham vocês?

Anjo :

– Nem eu nem o diabo precisamos de espiões. Tudo vemos e tudo

sabemos.

Por sua culpa, o desporto favorito dos portugueses perdeu o seu

prestígio.

Os estádios estão vazios, as bilheteiras choram e os sócios

abandonam os seus clubes. Você é um homem corrupto e a sua

alma é impura. O seu destino é o Inferno.

Homens da sua laia não entram aqui.

Pinto da Costa, já sem esperança de ir para o céu, volta para o

diabo :

PC:

– Muito bem, seu…seu…diabrete! Venha cá essa prancha!

Diabo:

– Vejo que concordaste, caro irmão corrupto,

não podes ir para o céu, o teu pecado é absoluto,

viajarás comigo pelo mar dos tormentos,

e remarás com os infernais rebentos,

o teu clube perderá e descerá de divisão,

e nós te torturaremos, por pura diversão.

Entra, entra, gordo lento,

pega num remo, não percamos mais tempo.

FIM

Cegos, Surdos e Mudos…

Qualquer pessoa devidamente informada e mesmo que seja um zero a matemática, chega a este resultado relativamente rápido e sem ter que fazer grandes contas…!

Infelizmente é isto que se passa no nosso país no que toca à aplicação da justiça, quando os visados são os Senhores da Fruta, vulgo, Futebol Clube do Porto! A justiça relativamente a esses senhores tem sido CEGA, SURDA e MUDA! Tudo vale, tudo lhes é permitido, tudo lhes é concedido e nada serve para condenar o que quer que seja! Agora dizem vocês, mas foram-lhes subtraídos seis pontos e o presidente deles até foi suspenso desportivamente, por corrupção tentada!!! E digo eu, é verdade sim senhor, mas o que foi isso para eles em função de todas as provas que a justiça ignorou e nem sequer usou como prova! Subtraíram-lhes seis pontos, num campeonato em que foram campeões por uns vinte pontos. Ou julgam vocês que se a diferença fosse de dois ou três pontos nesse campeonato, os seis pontos lhes eram subtraídos na mesma? Logicamente que não!!! Já foi há um tempito, mas não nos esquecemos

As escutas foram para canto! Não serviram de nada…, e agora vem um iluminado de um advogado que também deve ser pago ao peso da fruta, e que deve ter encontrado algum buraco nas nossas obsoletas leis, que mais parecem feitas para dar escapatórias aos corruptos, do que para condenar os culpados, a pedir a nulidade das imagens do sucedido no túnel da Luz, em que os jogadores frutistas, distribuíram fruta (mas desta vez à chapada e ao pontapé…) aos stewards que ali se encontravam! E qual terá sido o resultado do jogo para isso ter acontecido? Pois…, vocês sabem…, GANHÁMOS!

Questiono para que servem altos e dispendiosos sistemas de vídeo-vigilância em certos locais, quando um Sôr Doutor Juíz qualquer pode decretar as imagens (neste caso particular) nulas, porque um rato qualquer, leia-se advogado, se lembra de pedir a sua nulidade em base não se sabe bem do quê!? Provavelmente porque a cor assim lho permite fazer!!! A cor e o resto que todos sabemos!…

Espero e acredito que não seja isso que vai acontecer, caso contrário abre-se aqui um precedente para qualquer caso que esteja ou venha a ser investigado em função de imagens, possa levar o mesmo caminho! E lá pergunto novamente…, para que servem os sistemas de vídeo-vigilância? Estar lá uma câmara ou vaso com uma flor é igual…, apenas é um pouco mais caro!

Acredito sinceramente que ainda nos vamos rir muito à custa destes casos vergonhosos que nos envergonham enquanto cidadãos portugueses! Mas os intervenientes vangloriam-se e gozam pelos factos e por passarem impunes a tudo e todos! E eu digo…, tenho pena de vocês!!!

Apito Dourado um ano parado? Adjectivos para esta vergonha? Algum novo?

Arranjar mais adjectivos para mais esta vergonha que hoje se conheceu pelo Semanário Sol é tão difícil como encontrar petróleo no meu Quintal.

Sobre esta vergonha começo pelo fim. E começo pelo fim pelo gozo a que como cidadãos somos sujeitos. Porquê?

Cito o Semanário Sol:

Entretanto, José Luís Oliveira e Valentim Loureiro já suscitaram a prescrição dos crimes pelos quais foram condenados.”

A isto o que podemos chamar?

Artigo do Semanário Sol na integra:

O conselho de disciplina dos funcionários judiciais abriu um inquérito, a pedido do Conselho Superio da Magistratura, para investigar o que se passou na secretaria do Tribunal da Relação do Porto que fez com que o processo principal do Apito Dourado – em que é arguido Valentim Loureiro, entre outros – ficasse um ano parado, de forma «anómala». A consequência é que os crimes de corrupção desportiva estão a prescrever e os 11 arguidos condenados ficarão impunes.

As participações disciplinares foram feitas há um mês pelo presidente da Relação do Porto, José Sousa Lameira, e pelo procurador-distrital, Alberto Pinto Nogueira. Num despacho no processo, este exigiu que a secretaria dê explicações sobre o sucedido, que «conduziu ao objectivo atraso de mais de 11 meses na tramitação destes autos».

Já Sousa Lameira disse ao SOL que «o processo teve diversas vicissitudes que foram comunicadas ao Conselho Superior da Magistratura» (CSM).

O chefe de gabinete do vice-presidente do CSM informou ontem o SOL que as participações foram enviadas ao Conselho de Oficiais de Justiça, órgão disciplinar dos funcionários. A decisão que este tomar poderá ser avocada pelo CSM.

O caso Apito Dourado começou em 2003, numa investigação do Ministério Público (MP) e da Polícia Judiciária de Gondomar, coordenada pelo procurador Carlos Teixeira, sobre centenas de crimes de corrupção, envolvendo dirigentes desportivos e árbitros. A investigação deu origem a cerca de 70 inquéritos em todo o país.

O processo principal, contra 24 arguidos, decorreu em Gondomar: o MP deduziu acusação em Janeiro de 2006 e um ano depois houve despacho de pronúncia. Após julgamento, foram condenados, em 18 de Julho de 2008, 13 arguidos, entre os quais Valentim Loureiro (presidente da Câmara de Gondomar e líder da Liga Portuguesa de Futebol à data dos factos), Pinto de Sousa (ex-presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol) e José Luís Oliveira (vice de_Valentim na Câmara de Gondomar e presidente do clube local).

Em Março de 2010, após recursos, a Relação do Porto confirmou genericamente as condenações. Valentim Loureiro foi condenado a perda de mandato e três anos e dois meses de prisão (pena suspensa, por igual período), por crimes de abuso de poder e prevaricação. Já José Luís Oliveira foi condenado a três anos de prisão (pena igualmente suspensa), por abuso de poder e corrupção desportiva, e Pinto de Sousa a dois anos e três meses de prisão (suspensa), por abuso de poder.

Os arguidos recorreram novamente na Relação, suscitando erros e pedindo a aclaração do acórdão condenatório. Ao mesmo tempo, Pinto de Sousa e Valentim Loureiro apresentaram recursos para o Constitucional.

A Relação indeferiu todas as reclamações, em acórdão de Janeiro de 2011. Só que nem o MP no processo, nem os arguidos foram notificados deste acórdão. De forma inexplicável, tal só veio a acontecer em 4 de Janeiro deste ano e depois de alguém ter dado conta do sucedido, em Dezembro passado. Pelo meio, também os recursos para o Constitucional não subiram a este tribunal.

Factos ‘estranhamente anómalos’

Ou seja, durante um ano, o processo esteve formalmente a andar, mas parado de facto. Os recursos para o Constitucional só foram remetidos em 28 de Fevereiro (depois de notificados os arguidos do acórdão da Relação, em Janeiro).

«Trata-se de incidentes estranhamente anómalos num processo com as características do presente, mas que seria conveniente encontrarem cabal explicação, que se promove serem obtidas junto dos senhores funcionários encarregados da tramitação dos autos» – refere o procurador distrital do Porto, Pinto Nogueira, no já referido despacho no processo. «Requeremos, assim, que a secção explique, sem subterfúgios, as anomalias processuais referidas e sobretudo aquela em que actua como se o MP não existisse», acrescenta, referindo-se à falta de notificação ao MP.

Entretanto, José Luís Oliveira e Valentim Loureiro já suscitaram a prescrição dos crimes pelos quais foram condenados. Segundo fontes conhecedoras do processo, essa questão terá de ser analisada pelo Tribunal de Gondomar, mas só após o TC apreciar os recursos que agora lhe chegaram. “

Fonte: Semanário Sol 

Onde chega a imagem da corrupção do nosso futebol

Eis porque dentro do que nos for possível  tudo faremos para que o Mundo possa ouvir e saber o que é a vergonha chamada Liga Portuguesa. Para que todos  possam ouvir e saber que o FC Porto é o clube de futebol mais corrupto. Neste caso, são os Suecos a fazê-lo.

Para quem acha que apenas por cá se fala da vergonha da Corrupção no Futebol português aqui fica.

Na Suécia eis o que se falou e ainda se fala:

 “Porque será que aconteceu o que aconteceu ao Marselha e o seu Tappie preso? Por que razão Moggi foi punido e a Juventus enviada para a segunda divisão?”

Comparando o que Moggi e Tappie fizeram ao pé de Pinto da Costa e o seu FC Porto apenas os torna nuns meninos de couro.”

Esta é uma razão pela qual, o Sr. Platini, apenas encolheu os ombros a toda a corrupção que se passa no futebol em Portugal. Assim, Pinto da Costa vai continuar com este sistema.

Reparem neste Site,

http://www.svenskafans.com/europa/portugal/artikel.asp?id=236145

e neste Fórum:

http://forum.fmsweden.se/viewtopic.php?t=12488&sid=1b3338f8619505d50e53aae6550c8e2b

Onde chega esta vergonha… Neste Fórum sobre Corrupção no Futebol, alguém ao fazer referência à corrupção em Itália recebe esta resposta:

…se pensam que em Itália é mau, nem imaginam o que se passa em Portugal...”

 Basta um tradutor On-Line para se entender o que ali ainda está mais escrito.

Corrupção…legal.

Ainda me lembro dos meus tempos de bar man em que discotecas eram obrigadas a pagar fortunas para sistemas de vigilância e quando se captavam roubos, violência, etc… as imagens não serviam pois os autores dos crimes não tinham sido apanhados em flagrante.

Isto para chegar onde.

Tivemos as escutas do apito dourado, corrupção provada, etc…mas nada aceite…

Criminoso que são avisados com antecedência pela própria polícia para fugirem e não serem apanhados.

Se uns são acusados os maiores criminosos ficam livres e ainda com apoio dos tribunais e comunicação social, mas o mendigo que roubou uma lata de atum para matar a fome é condenado.

Muito se falou dos túneis, na Luz tivemos uma verdadeira batalha campal, agressões de todo o tipo, uns ficaram culpados, já outros não, mas no fim de tudo a culpa foi para o lado do BENFICA e todos os anti disseram que foi um campeonato dos túneis.

Outro túnel foi o de braga, em que Cardozo foi agredido dentro de campo por 2 jogadores do braga frente a um árbitro assistente, que a única coisa que fez foi enrolar a bandeirinha e de recuo se foi afastando do acontecimento.

Já dentro do túnel e como as imagens provam, Cardozo nada faz e é castigado.

Ora agora vêm os advogados de Hulk, Sapunaru, Fucile, Helton e Rodriguez, solicitar esta quarta-feira, a nulidade das imagens no túnel da Luz, que remontam ao incidente de 20 de dezembro de 2009.

(Fucile antes de sair do focul corrupto disse que estava arrependido, foi algo que os adeptos adoraram, mas que não devia ter acontecido)

Quer dizer então que podemos contar com mais uma decisão a favor do focul corrupto, mas então se as imagens não contam será que os relatos dos acontecimentos, testemunhas e outra provas também não contam?

Vamos mais uma vez ver os prevaricadores/criminosos saírem mais uma vez ilesos?

Vejamos:

Alguns deste jogadores (do focul corrupto) esta época já se envolveram em agressões com os adeptos do focul corrupto.

Agora um acontecimento recente:

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=0IYkQSvda1M

“A jovem Annette McCullough, de 18 anos, jogadora de Lewisville High School, foi acusada pela polícia de Chester de agressão de terceiro grau a uma adversária, no encontro diante de Chester High School, realizado na segunda-feira.

Segundo revela Richard Smith, xerife de Chester County, a jovem foi acusada de dois crimes de agressão, depois do vídeo da situação ter sido revelado pela CN2 News, onde se pode ver McCullough a acertar, pelo menos, por dez vezes na sua adversária. O que aconteceu é lamentável, tanto para a vítima como para a escola. Posso até dizer que raramente, ou mesmo nunca, tivemos problemas neste estabelecimento de ensino”, revelou ainda Richard Smith.”

Neste caso a própria polícia acusou a jovem agressora por um crime que cometeu, mais palavras para quê.

Apenas que já vi Advogados e juízes ligados ao focul corruptos a tomarem conta destes casos…a Carolina e restantes testemunhas também nuca foram credíveis, claro está.

Porque se eterniza no tempo a corrupção do FC Porto

Ricardo Costa, antigo Presidente da Comissão Disciplinar da Liga não ter sido reconduzido no seu mandato em 2010 por Fernando Gomes não me espantou em nada. E não constituíu qualquer novidade tendo em conta principalmente o que o próprio em entrevista que infelizmente muitos perderam e outros tantos ignoraram.

O BENFICA POWER, reproduz no final deste texto frase emblemática, do Juíz Ricardo Costa, parte dessa entrevista ao Semanário Sol. Num espaço de 3 anos, muitas peças de encaixam como poderão observar.

Que grande entrevista a de Ricardo Costa ao “Semanário Sol”.

Com a clareza e frontalidade de quem nada deve e nada teme, este boavisteiro nascido no Porto, afirmou preto no branco que à luz dos novos regulamentos aprovados pela Liga, o FC Porto desceria de divisão pelos actos de corrupção praticados pelo Seu Presidente.

E se o castigo de seis pontos, mesmo à luz dos anteriores regulamentos (que não puniam boa parte dos crimes praticados) tivesse sido aplicado no ano anterior, o Porto não seria campeão.

Jogo viciado! Sem medo, sem meias palavras! Corrupção Activa que se permitiu que passasse em claro.

Na sequência dessa entrevista….

O antigo presidente da Liga de Clubes, Hermínio Loureiro, denunciou pressões do FC Porto para “correr” com Ricardo Costa da Comissão Disciplinar. Uma entrevista imperdível.

Hermínio Loureiro deixou a Liga e concedeu uma entrevista ao Semanário Sol. As palavras do ex-presidente da Liga de Clubes tiveram pouco eco, o que não condiz com a gravidade de algumas afirmações. O BENFICA POWER fez eco dessas palavras, e fá-lo de novo para que ficam assim eternizadas no espaço que eterniza a corrupção do FC Porto, as pressões e os agentes fiéis que agem em nome do clube.

A pergunta do jornalista Luís Rosa: “Valentim Loureiro ou Pinto da Costa nunca lhe disseram para controlar o que Ricardo Costa (presidente da Comissão Disciplinar da Liga) andava a fazer?”

A resposta: “A única pessoa que me falou do Ricardo Costa foi o Adelino Caldeira, vice-presidente do FC Porto, a 3 de Setembro de 2008, num almoço no restaurante Lusíadas, em Matosinhos. Ele foi clarinho e apreciei a frontalidade. Disse-me: ‘Meu caro, ou você corre com o Ricardo Costa e tem a vida facilitada ou vamos fazer-lhe a vida negra’. Certo é que não mudei a orientação de total autonomia que dei desde o início à Comissão Disciplinar. Desde esse dia que percebi que me iam fazer a vida negra e fizeram.

E porque quereria o FC Porto afastar Ricardo Costa? [a pergunta parece inocente, mas terá de ser feita para se obter o testemunho de Hermínio]. “Tem a ver com as decisões disciplinares do Apito Dourado, como é evidente”, respondeu. Hermínio Loureiro contou que Filipe Soares Franco, ex-presidente do Sporting, “também várias vezes sugeriu” que o presidente da Liga “substituísse o Vítor Pereira”.

Fernando Gomes, em 2010, então presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, disse à Agência Lusa que o tempo de Ricardo Costa na presidência da Comissão Disciplinar da Liga “não foi um tempo positivo” e que por isso não o convidou para continuar, para depois acrescentar que a anterior comissão “não teria competência” para prosseguir. Fixem estas palavras…”não teria competência”

Melhor ainda: em 2010 dito por Fernando Gomes “Passámos um período conturbado, muito mais na disciplina do que na arbitragem, foi essa a minha percepção relativamente ao convite ou não convite às pessoas que presidiam a esses conselhos. Não me parece que devamos colocar ao mesmo nível o Vítor Pereira e o Ricardo Costa e por isso mesmo convidámos o Vítor Pereira e não convidámos o Ricardo Costa” . Fantástico ! Meus caros leitores do BENFICA POWER, o período conturbado a que Fernando Gomes se referia, era nem mais nem menos que o Apito Dourado. Peço uma vez mais para seguirem estas palavras até lerem as palavras de Ricardo Costa a seguir.

O melhor? Vem agora. Leiam, fixem, gravem bem estas palavras de Fernando Gomes: Lembro, Ricardo Costa, presidente da anterior Comissão Disciplinar foi quem enfrentou sem receio e com diversas decisões polémicas sobre o FC Porto, clube de que Fernando Gomes foi administrador até Fevereiro desse ano de 2010 até ter passado a Presidente da Liga. Pois bem, não espante ninguém que o ex presidente da Liga faça uma avaliação claramente negativa do Juiz Ricardo Costa. Meu caro leitor, atente nestas palavras de Fernando Gomes, são um verdadeiro tesouro a que ninguém ligou na sequência de tudo o que têm vindo a ser todas as épocas desportivas pós Apito Dourado onde tudo se soube, se sabe, se antecipa e quem queria não poude fazer, quem pode, não deixou fazer. 

Aqui estão as palavras de Fernando Gomes sobre o Juiz Ricardo Costa (pormenor, adepto Boavisteiro)

Ao longo dos diversos contactos que tive com os todos clubes aquando do processo da minha candidatura havia a ideia generalizada que efectivamente o tempo do dr. Ricardo Costa à frente da Comissão Disciplinar não foi um tempo positivo em termos daquilo que tem de ser a justiça do ponto de vista factual, concreto e objectivo de equidistância e de não grande exposição. A justiça deve ser célere, deve ser competente, deve ser rápida, e nesse aspecto creio que se deram passos significativos, mas também deve ser equilibrada e recatada. Nessa perspectiva, o sentimento que fui tendo dos próprios clubes é que havia a ideia generalizada de que essa comissão não teria competência e que não deveria continuar

Verdadeiros tesouros para registar:

o tempo do dr. Ricardo Costa à frente da Comissão Disciplinar não foi um tempo positivo em termos daquilo que tem de ser a justiça do ponto de vista factual, concreto e objectivo de equidistância e de não grande exposição

“Factual e concreto”? Mais? Não, nem é necessário nem mais um comentário…

” objectivo de equidistância e de não grande exposição” Claramente, isso é mais que óbvio. O Juiz Ricardo Costa expões em excesso a podridão existente, mas como ele disse, “Eu tenho familia, duvido que consiga ir mais longe” E não foi, NINGUÉM O AJUDOU!

“A justiça deve ser célere, deve ser competente, deve ser rápida, e nesse aspecto creio que se deram passos significativos, mas também deve ser equilibrada e recatada ” Não podia estar mais de acordo, não fora o pequeno pormenor de Fernando Gomes ter sido um dos que não permitiram essa celeridade e principalmente JUSTIÇA.

Meu comentário:

O Futebol precisa de gente que não se deixe intimidar. Os vários agentes que se movem no nosso futebol devem perceber que não existem intocáveis. Ricardo Costa percebeu isso, tentou, remou contra a maré em correntes viciadas, e em pantanos imundos.

Aqui ficam algumas das frases que se podem reter da postura tida por Ricardo Costa, Presidente da Comissão Disciplinar da Liga. numa Célebre entrevista ao Jornal “Sol”

Eis que quem decidiu atirar o Boavista para os confins dos campeonatos nacionais é adepto do …Boavista. Situação curiosa, mas apenas pelo facto de o futebol português não estar preparado para saber os Clubes das pessoas que exercem este tipo de cargos.

Eis quem em 2004 começou a ver algo muito simples, apenas em 2004 a Justiça começa a intervir no Futebol !!!

Curiosa a sua resposta à seguinte pergunta:

“É o caso de dois jogos que levaram à condenação do FC Porto e do seu dirigente Pinto da Costa. Se fosse hoje, o clube azul e branco seria punido com a descida de divisão por causa dos actos cometidos pelo presidente?”

Resposta de Ricardo Costa: Exacto, com os novos regulamentos o FC Porto teria sido punido com a descida de divisão por tentativa de corrupção”

Perante isto, digo eu, e recordo que a subtracção de seis pontos ao FC Porto acontece numa altura da época em que o clube era já virtualmente campeão. Justiça vã!!! Justiça para calar.

E digo ainda como será possível campeonatos, resultados falseados pela corrupção vigente ao longo de duas décadas e meia a conspurcarem a futebol nacional, possam ficar registados para a história, apenas porque “se fosse hoje o FC Porto seria condenado” ou ainda porque apenas a partir de 2004 a justiça entrou no futebol.

Como será possível os adeptos de tão Corrupto Clube não pintarem a cara de vergonha pelo que se sabe apesar de “legalmente” ninguém lhes tocar. Eu respondo, quem estiver no futebol por bem, baixará e abanará a cara de vergonha e dirá que o porto infelizmente se confunde com o maior corrupto conhecido chamado Pinto da Costa e que se pavoneia pelas salas da Assembleia da Republica em cerimónias de beija mão e comendo do que todos nós produzimos. Vergonha!!! Outros, os sem escrúpulos, sem caracter, bandidos da consciência humana, ladrões de valores como ética e seriedade, abanarão a cabeça e ainda gozarão com todos nós, como que a dizer “sim matei” ou “sim roubei” mas…“já não nos podem tocar.”

O Futebol e a Justiça precisa de gente que não se deixe intimidar. Precisamos acabar com a ideia fixa na cabeça “daqueles bandidos” a que me referi, de que lhes bastará ficar sossegados e quietos, à espera que tudo prescreva. Em frente, sejamos optimistas, é necessário acabar com a impunidade generalizada.

O BENFICA POWER tem na razão da sua existencia não esquecer, não perdoar, denunciar tudo, todos, doa a quem doer.

De que têm medo os adeptos do Porto?

Mas afinal de que têm medo os adeptos do Porto?

As escutas existem? Sim!  Mas podem ser usadas? Não! Mas nas escutas não é claro o ilícito corrupto activo e passivo? Sim! Então os intervenientes vão ser condenados? Não!

Não querendo enaltecer em excesso o verdadeiro prodígio que são as minhas reminiscências, mas a verdade é que compreendi tudo sobre o futebol português no dia 21 de Setembro de 1994. Disputavam-se os últimos cinco minutos da segunda mão da final da Supertaça, no Estádio das Antas. Quem marcasse, ganhava. E o Benfica marcou. Custou um bocadinho, mas marcou. Lembro-me como se fosse hoje: Carlos Secretário, um especialista a fazer assistências para os adversários, isola de forma brilhante César Brito. César Brito remata para excelente defesa com as mãos de Baía, que se encontra dois metros fora da grande área. O árbitro, Donato Ramos, mira inexoravelmente a lei que se aplica em jogos no Estádio das Antas e manda seguir. Por sorte, a bola sobra para um jogador do Benfica chamado Amaral. Amaral chuta e José Carlos, defesa-central do FC Porto, encaixa a bola na própria baliza. Golo. Mas, eis quando… o árbitro auxiliar, que naquela altura ainda se chamava bandeirinha, levanta a dita. No momento em que o jogador do FC Porto marca o autogolo, há um jogador do Benfica, a uns 15 ou 20 metros de distância, que está em fora-de-jogo posicional. Inteligentemente, Baía tinha saído da grande área para defender com as mãos o remate de César Brito, deixando depois este último em posição irregular. Golo anulado.

É claro, fiquei esclarecido. Quando surge o escândalo dos quinhentinhos do Guímaro, nem um minuto de atenção dediquei ao assunto. Para quê? Quando Carlos José Amorim Calheiros (conhecido no mundo do futebol como Carlos Calheiros e no mundo das agências de viagens como José Amorim) foi de férias para o Brasil com a viagem paga pelo FC Porto, tudo demonstrado por facturas, encolhi os ombros, e disse, qual a novidade? O clube da organização e do rigor tinha pago, por engano, uma viagem a um árbitro. E daí? Quem nunca pagou uma viagem a um árbitro por lapso que atire a primeira pedra. Acontece-me pelo menos uma vez por mês. Quando li as escutas sobre a «fruta para dormir» e os «rebuçadinhos para a noite»? Virei a página, que eu cá gosto é de novidades. E quando Pinto da Costa confessou que recebeu um árbitro em casa na véspera de um jogo, bocejei e retomei o que estava a fazer. Perspicaz, e mostrando que os amigos são o que de melhor temos na vida, Pinto da Costa ao ser avisado por um dos seus dedicados amigos, que governa a sua vida na Judiciária, ala para a Galiza onde aproveitou para comer umas belas Vieiras.

Receios dos adeptos do FC Porto em que possa suceder ao seu clube o mesmo que ao amigo Loureiro? Nahhh, nada disso Tudo calmo. Irradiados da Champions? Nahhh. Por isso, ouçam lá meus caros, se não aconteceu nada depois do golo do Amaral, dos quinhentinhos, do José Pratas a bater o recorde dos 100 metros à frente do Fernando Couto em Coimbra, do Calheiros, da fruta para dormir do serviço de árbitros ao domicílio, do Apito Dourado ou parecer de Direito Administrativo, do Proença a dar-vos até ao momento 3 Campeonatos, acham que é o facto de o SPORT LISBOA E BENFICA ter uma Equipa objectivamente superior que vos vai tramar? Nada temam. Além disso têm tempo para ler os documentos antes de o comentarem. E depois podem dizer: «Sim senhor, gostei muito de ler o parecer, a história é empolgante, e tal e coiso, e coiso e tal, mas agora vou arquivá-lo aqui no caixote do lixo, ao lado desta factura em nome de José Amorim». Mais cedo ou mais tarde, é lá que ele vai parar. Diz-se pelos meandros da Cedofeita, que Pinto da Costa terá dito “juízes, justiça? É pá vão mas é trabalhar no trabalho…”

ERROS HUMANOS? O Kilo deles desceu dada a grande oferta

Ainda existe muito boa gente que acredita que o Futebol português se auto regenera e se transforma. Desenganem-se, os velhos hábitos que vão dando titulos aos batoteiros faz com esta corja não abdique. E claro, se lhes é favorável o vento por que o hão-de fazer? Mesmo depois de terem apanhado um valente susto com o Apito Dourado, não irão deixar o bem-bom deste “dolce fare niente” em que nos estamos a deixar caír.

Os anos vão passando, os tribunais vão recebendo recursos e mais recursos e os processos vão sendo arquivados sem castigos para vigaristas e corruptos. No último Benfica – porto ficou com a nitida sensação que estávamos nos anos 80/90 e o árbitro em vez do Proença seria um Garrido, José Silvano ou um Calheiros.

Quem viu aquele jogo. Quem o sentiu, sabe tal como eu que o cancro do futebol são os árbitros.

Quero ir ao Futebol descansado, e ficar a saber que se a minha Euipa perdeu é porque não jogou bem, ou porque falhou muitos golos, ou porque teve azar. Estou saturado, FARTO, de ver o Benfica perder por ” ERROS HUMANOS” dos árbitros. Chega.

Há anos que digo, acabem com os árbitros, a FIFA que faça uma parceria com uma Companhia Major em IT, Microsoft, Cisco, etc para se por a andar estes “tudo bons rapazes” de uma vez por todas.

Não estou a descobrir a pólvora, não estou a pedir nada que não seja exequível, pelo contrário, é perfeitamente possível dotar os campos de Futebol de uma simples tecnologia que faça algo tão simples como, é falta, não é falta, baseada NA VERDADE. Os “rapazes” vão para o desemprego? Não, voltem para as suas actividades, os que forem sérios continuaram a sê-lo, os que não forem, tentem outras formas de ilicito, e espero que sejam apanhados.

O raio que parta a desculpa do “ERRO HUMANO”, nestes últimos 30 anos o Kilo de “Erro Humano” baixou significativamente devido à grande Oferta que existe.

Cambada… Distância

Onde chega? Eu lembro-vos algo de NOVEMBRO DE 2011

“ESTÁ TOTALMENTE PROHIBIDO POR LA UEFA
Directivos del Oporto cenaron con el árbitro tras el partido contra el Villarreal
· Reinaldo Teles y Antonio Garrido, implicados en el caso ‘Pito Dorado’, acudieron al restaurante con el holandés Kuipers · También cenó allí el presidente Pinto da Costa

El Oporto, rival del Villarreal en las semifinales de la Europa League, incumplió el pasado jueves una de las reglas más importantes que marca la UEFA: la prohibición expresa de que directivos o miembros de cualquiera de los equipos contendientes acompañen a los árbitros del partido durante su estancia en la sede del choque. Y mucho menos, que coman o cenen con ellos.
Tras ciertos casos de corrupción aparecidos hace algunos años, el organismo que regula el fútbol europeo incide mucho en velar por cualquier tipo de conducta que pueda dar lugar a presuntas irregularidades. Y así lo expresa nítidamente en su reglamento: “Durante su estancia en la sede del partido, los árbitros deben ser únicamente atendidos por un enlace que será un representante oficial de las asociaciones nacionales del equipo anfitrión (artículo 20.08 del capítulo XIII)”. Es decir, sólo puede acompañarles alguien de la Federación o del Comité de Árbitros.
Pero, según ha podido saber MARCA, esta regla se incumplió gravemente la noche del pasado jueves, cuando el holandés Bjorn Kuipers, encargado de dirigir el choque entre el club luso y el Villarreal, cenó con varios directivos y personas estrechamente vinculadas al Oporto en el mismo restaurante.
Kuipers cenó en la Marisqueira de Matosinhos -de la localidad del mismo nombre situada a 10 kilómetros de Oporto- con Reinaldo Teles, directivo del club portugués y persona de gran confianza del presidente de la entidad, y con Antonio Garrido, ex árbitro luso que colabora con el Oporto.
A lo largo de la cena, el asunto fue más allá cuando ¡el propio presidente! Jorge Nuno Pinto da Costa también apareció en el exclusivo restaurante de la Rua do Roberto Ivens.
La UEFA no ve con buenos ojos estas prácticas, sobre todo teniendo en cuenta que Pinto da Costa, Teles y Garrido estuvieron involucrados en el escándalo de corrupción arbitral que salpicó al fútbol portugués en 2004 conocido como ‘Pito Dorado’.
Escuchas telefónicas
Teles y Garrido no fueron condenados porque la justicia portuguesa no aceptó como pruebas las escuchas telefónicas. El caso se saldó -además del descenso administrativo del Boavista y cinco árbitros suspendidos- con dos años de suspensión para Pinto da Costa y una sanción de seis puntos en Liga para el Oporto, que además fue apartado de la Champions League 2008-2009. Esta sanción fue posteriormente revocada por el Comité de Apelación de la UEFA.
La actuación del holandés Kuipers en dicho partido (que concluyó con un contundente marcador de 5-1 a favor de los portugueses) se saldó con tres tarjetas amarillas para los castellonenses -Catalá, Borja y Diego López-, un penalti señalado a favor de los locales y la reclamación de un posible fuera de juego en el cuarto gol del Oporto.
Ante la sospechosa irregularidad de esta cena, el Villarreal podría plantearse ahora presentar una reclamación ante la comisión disciplinaria de la UEFA, el mismo órgano al que iba dirigida la demanda presentada por el Real Madrid contra los jugadores del Barça, que fue desestimada el pasado lunes.”

A destacar:

-Parece que a Marisqueira é sempre a mesma!!! Até parece que não há mais sítios para se comer!!!

-Garrido nomeado pela FPF, para acompanhar os árbitros. O homem mais ‘sério’ da arbitragem Portuguesa!!! Será que ele também acompanha os árbitros da UEFA que apitam na Luz?!!! Se sim, então as coisas começam a fazer sentido…!!!

-Jornaleiros avençados Lusitanos caladinhos, todos… aqui não há surpresa.

-Pintinho disse no final deste jogo, que não tinha gostado da arbitragem na 1ª parte!!! Será que este também recebeu fotografias por baixo da porta?!!! Ou será que só ao intervalo, é que decidiram o ‘Menu’ da Fruta?!!!

-‘pito dourado'(!!!): A prova que os Castelhanos chamam os bois pelos nomes!!!