Carta aos Benfiquistas e não só…

Aquilo que se passou à chegada da nossa equipa depois da conquista de um troféu, envergonha-me enquanto Benfiquista. Se a mando de alguém ou não pouco me interessa. É habito por mais que não aprecie frase feitas ouvirmos que não podemos confundir a árvore com a floresta. Sendo que a árvore são uma minoria de benfiquezes e a floresta a grande maioria dos verdadeiros benfiquistas vou mais longe na analogia e chamo aos benfiquezes um Eucalipto no meio de um pinhal. Não sou engenheiro florestal nem leio o Borda dÁgua mas é senso comum um que um eucalipto causa em seu redor; corrói solos férteis destrói pinhais em nome da industria do papel. Curioso como esta minha modesta incursão pela natureza ilustra bem o que acontece neste momento com o Benfica. Benfiquezes encontram-se é certo em minoria, mas é impressionante o efeito de erosão que tem em Benfiquistas que a reboque entram num foguetório de críticas, sempre feitas de cabeça quente e poucas vezes suficientemente ponderadas. A origem está na profunda paixão clubista, na ânsia de ganhar mais e sempre e de ganhar tudo, tem necessidade de deitar rapidamente cá para fora a frustação da derrota. É humano, é compreensível, e faz parte da identificação de um GRANDE Clube como não há outro em Portugal.

A crítica é legitima, ainda para mais no Clube que desde sempre pode encher o peito e dizer “sempre fomos o Clube mais Democrático de Portugal” . Coisa que outros obviamente não conseguem dizer sem caír no ridículo de verem os seus telhados de vidro estilhaçados. Assim sendo a crítica tem e terá sempre o seu espaço no Benfica. Nem outra coisa seria de esperar tendo em conta o grau de exigência que uma história centenária e ganhadora nos legou. Quando as coisas nos correm mal há que identificar problemas, encontrar soluções, sem fugir ao debate custe a quem custar. Mas, não é  na choradeira, frustação que se devem tomar decisões ou emitir opiniões. O risco de precipitação é enorme. Frieza, ponderação e Equilibrio são necessárias.

A frieza, ponderação e equilibrio, terminam quando os ditos Benfiquezes actuam como vi na semana passada que, repito infiltrados ou não pouco me interessa, porque passam a ser piores que os nossos adversários.

Frieza, ponderação e Equilibrio dentro de nossa casa, para se poder reflectir sobre o que existe a melhorar de forma a estarmos mais blindados e sujeitos às inteferências externas que consecutivamente nos têm vindo a atingir. Este campeonato tem sido um exemplo de forma pragmática e sem margem para possível contra-argumento, um verdadeiro chorrilho de exemplos de arbitragens desastrosas e penalizarem-nos consecutivamente, e sejamos claros a vilipendiarem-nos o título. É isto que aos verdadeiros benfiquistas  mais sujeitos a serem influenciados pelos benfiqueses faz com que a reboque destes ajam de cabeça quente.

 Alerto os verdeiros benfiquistas para os oportunistas benfiquezes. Sabem bem o que fazem e onde tocar. A nossa frustação é grande quando pelo forte investimento na época, pela superior Equipa que temos, pelo valor da nossa Direcção e pelo grande treinador que temos, chegamos ao fim, e perguntamos, então mas o que é isto? Cuidado, e deixo aproveitando esta achega ao tema arbitragens para que estejam atentos aos “Cardinais” do nosso futebol. Dois simples exemplos entre uma dezena em dois campeonatos que nos foram (e vão ser) tirados, pelos Árbitros principais? Não pelos “Cardinais”. Reparem: Lembram-se de Olegário Benquerença no golo de Petit ao FC Porto que nos lançaria para o título? Claro que sim. Pois bem a responsabilidade objectiva até nem foi dele mas do seu bandeirinha ou assistente ou lá como lhe queiram chamar. Lembram-se de Proença? O ridiculo golo que sofremos quase no final? Pois bem, nesse lancem, nem foi ele, foi o árbitro assitente. Nomes, para que recordem sempre, falei de LUÍS TAVARES e RICARDO SANTOS. Alguém fala neles? Não. Retomando  a questão dos oportinistas Benfiqueses, aqui vou meter o meu dedo na ferida aberta e mais profunda que temos. Os Benfiqueses “Figuras” ! E o aproveitamento que fazem dos momentos mais angustiantes, procurando a manipulação de sentimentos. Oportunistas vis que aproveitando a angústia tiram partido e usam o sentimento dos benfiquistas para protagonismos pessoais, ou mesquinhos ajustes de contas com o passado. Esta é infelizemente uma triste tradição, já com décadas de vida onde aproveitam o seu mediatismo, e o seu apetite sanguinário para e aproveitando esse mesmo instinto se aliarem às sangessugas da comunicação Social para darem voz aos seus ressabiamentos, para quiçá, um dia deste os vermos na estrutura directiva do nosso querido Clube. Não permitam que estes “eucaliptos” vos manipulem.

Valendo que vale, e garantindo não ser eufemismo algum mas uma voz vinda de dentro da minha alma benfiquista digo, cuidado quando estamos em “Paixão” serão muito mais facilmente direccionados por estes oportunistas para os sentimentso cujo exemplo vimos a semana passada (só posso chamar ódio, quem insulta consócios por festejarem um título). Há muito que o que sinto pelo Benfica deixou de ser Paixão, é amor mesmo. Por isso sei, orgulhosamente digo, sou imune a benfiquezes. O que nos liberta tempo para os combater aqui no BENFICA POWER. by Carlos Fontes

Anúncios

One comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s